segunda-feira, novembro 19, 2018
Home > Igarassu > Presídio de Igarassu promove casamento coletivo

Presídio de Igarassu promove casamento coletivo

Há quem diga que o amor é capaz de superar todos os obstáculos. E este argumento se encaixou muito bem na vida de 22 casais que, mesmo separados pelos muros do Presídio de Igarassu (PIG), conseguiram realizar o sonho de dizer “sim”, na última sexta (20), em uma cerimônia religiosa com efeito civil promovida pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), por meio da Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres). O enlace reuniu mais de 80 convidados e contou com a presença do chefe de gabinete da Seres, Renato Pinto, além de representantes do Ministério Público de Pernambuco e da Defensoria pública do Estado.

Alterando a ordem de uma cerimônia comum, as noivas chegaram na capela primeiro e aguardaram seus noivos no altar. As nubentes capricharam nos preparativos. Vestido branco, maquiagem, penteado e buquê. Tudo como manda o figurino para a tão sonhada troca de alianças. A celebração foi conduzida pelo pastor Adriano José Domingos, da Igreja Evangélica Pentecostal de Olinda. Após o casório, os noivos cortaram os bolos, posaram para fotos e se confraternizaram com os convidados.

O reeducando Rafael Acioly, de 24 anos, explica que o casamento pode ser determinante para o sucesso na sua reinserção social. “Oficializar a união representa o começo de uma grande mudança. Foi a forma que encontrei para dizer que eu quero mudar de vida. Já estou fazendo planos para quando sair daqui” falou emocionado.

Para o chefe de gabinete da Seres, Renato Pinto, através do matrimônio é possível desenhar um futuro diferente tanto dentro quanto fora do sistema prisional. “Entendemos que a família é um pilar fundamental para que aconteçam grandes mudanças na vida dos reeducandos e para que sejam dados passos cada vez mais firmes no processo de ressocialização” explicou. A celebração contou, ainda, com a presença diretor da unidade, Charles Belarmino, do defensor público Rodrigo Furtado e do promotor da Vara e Execuções Penais, Marcellus Ugiette.

Texto: Aurélio Duvivier / Fotos: Márcia Galindo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *