quarta-feira, dezembro 19, 2018
Home > Abreu e Lima > Jovens se envolvem em briga em unidade de ressocialização em Abreu e Lima

Jovens se envolvem em briga em unidade de ressocialização em Abreu e Lima

A unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) de Abreu e Lima, no Grande Recife, registrou uma briga entre jovens infratores de grupos rivais, na manhã desta terça-feira (19). De acordo com a instituição, está sendo feito um levantamento para saber se houve feridos.

A confusão começou por volta das 8h30. A Funase informou, ainda, que o problema foi resolvido em seguida. A assessoria de comunicação da instituição ressaltou que não é possível contabilizar danos materiais provocados pela briga desta terça. Ainda há vestígios do tumulto ocorrido na sexta-feira (15).

O tumulto desta terça foi contornado com a chegada de unidades da Polícia Militar de Pernambuco. Equipes da Radiopatruha e do 17º Batalhão atuaram na unidade.

Confusão anterior

De acordo com a Funase, o tumulto de sexta-feira teve início por volta do meio-dia e foi motivado por uma briga entre grupos rivais. Não houve registro de fugas ou reféns. O Corpo de Bombeiros foi acionado por volta das 12h30, porque os internos atearam fogo a colchões que estavam no corredor dos pavilhões da unidade.

Segundo a corporação, os feridos foram atendidas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). De acordo com a Funase, quatro internos tiveram ferimentos leves e foram encaminhados à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Paulista.

Fugas

Na manhã do dia 30 de junho, 48 adolescentes fugiram do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Abreu e Lima. Pouco depois do meio-dia, 39 internos já haviam sido recapturados pela Polícia Militar. Não houve registro de feridos ou de danos ao patrimônio, segundo a Funase.

Na noite de 29 de junho, o Case de Vitória de Santo Antão, na Mata Sul do estado, registrou uma fuga de nove internos, após uma briga ocorrida em uma festa de São João na unidade. Até as 21h, a Companhia Independente de Operações Especiais havia recapturado quatro internos. As causas e a responsabilidade serão apuradas pela corregedoria do órgão.

Fonte: G1-PE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *