quarta-feira, dezembro 19, 2018
Home > Destaque > Elias Gomes lança pré-candidatura ao governo de Pernambuco

Elias Gomes lança pré-candidatura ao governo de Pernambuco

O ex-prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Elias Gomes (PSDB), lançou (21) as diretrizes para seu plano de governo. Oficializando assim sua pré-candidatura ao governo do estado. Desde a semana passada, o grupo ligado a Elias vem manifestando a intenção de lançar candidatura própria.

“É hora de assumirmos o nosso tamanho e a nossa importância enquanto partido, em que pese a inércia da sua direção, que inclusive já atua para mais uma vez nos conduzir a papel secundário na próxima eleição […] É isso o que ouvimos nas conversas com importantes setores do PSDB. São muitas as reclamações em relação à inércia partidária, à falta de debate interno, questões que vêm sendo alardeadas como no recente manifesto em defesa da democracia no partido e por uma ampla discussão sobre nossos rumos, lançado por militantes do Partido.”, Cita Elias no manifesto.

O documento é baseado em cinco pontos: Gestão pública, Desenvolvimento Econômico com Sustentabilidade, Políticas públicas Sociais Integradas, Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano e Segurança.

Perguntado sobre o posicionamento da executiva nacional, ele responde que há o entendimento do grupo anti-Temer de que o partido deva lançar candidatura própria ao governo do estado. “O entendimento da cúpula nacional – conversei com Tasso, com Trípoli, Sílvio Torres e com secretário da Casa Civil, Tião – é de que o PSDB deve ter um candidato ao governo do estado. A palavra sempre foi de estímulo. Não há unidade a nível nacional porque o partido hoje está com dois grupos. Um pró-Temer e outro que não é simpático a Temer.”

Sendo antagonista do o grupo político de Bruno Araújo, Elias acusa o adversário, Antônio Moraes, atual presidente do partido, de descumprir o acordo firmado em alternar a comando local do partido. “O grupo de Bruno não cumpriu o compromisso assumido solenemente. Isto é ruim, isto depõe contra a liderança do partido. Não me diminui, mas diminuiu. Até porque eu falei com os líderes do PSDB e isso não ficou muito bem visto.”

E complementa sobre possíveis alianças partidárias: “O PSDB não autorizou nenhum dos seus dirigentes a fazer alianças com nenhuma outra força política. Nosso papel não é aderir, mas sim de protagonizar e liderar.”

Fonte: JC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *