quarta-feira, dezembro 19, 2018
Home > Olinda > Desaba parte de prédio que rachou ao meio em Olinda

Desaba parte de prédio que rachou ao meio em Olinda

Parte do prédio que rachou ao meio em Jardim Fragoso, em Olinda, desabou na madrugada desta segunda-feira (28). Desde que o edifício tombou para um dos lados que a Defesa Civil do município defende a demolição emergencial da construção, mas a intervenção depende de uma autorização do Judiciário. De acordo com o Corpo de Bombeiros, ninguém ficou ferido.

Na época em que o Edifício Agave rachou, o diretor da Defesa Civil de Olinda, Pablo Pereira, já havia anunciado o alto risco de desabamento do restante da estrutura. Segundo ele, o órgão precisa aguardar a liberação da Justiça para demolir porque a situação do imóvel está judicializada. Um problema envolvendo uma seguradora estaria dificultando o processo.

Interditado pela Defesa Civil há cerca de 15 anos, o edifício Agave tem três pavimentos. É do tipo caixão, quando a edificação não possui pilares de sustentação. Os engenheiros denominam esse tipo de construção como alvenaria estrutural.

Mesmo fechado há anos, ele ainda servia de ponto de moradia improvisada. Ao todo, o condomínio onde fica o edifício tem mais nove blocos. Apesar da gravidade dos danos na estrutura, não houve feridos na ocorrência. Desde então, o edifício está isolado.

Contudo, moradores se arriscaram em meio aos destroços para retirar móveis e eletroeletrônicos. O prédio começou a apresentar os sinais de um possível desabamento no dia 5 deste mês, quando surgiram as primeiras rachaduras e estalos na estrutura. Com medo, os moradores abandonaram o local. O prédio rachou no meio por volta das 21h30 do dia 10 deste mês.

O prédio estava ocupado no térreo e nos dois andares por seis famílias. Eles ocuparam outra construção próxima, que também está desocupada devido a riscos estruturais. De acordo com a Defesa Civil, há mais de trinta blocos interditados em Jardim Fragoso. Na cidade de Olinda são 60 prédios.

Fonte/Imagem: Portal G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *