quarta-feira, agosto 15, 2018
Home > Cultura > Modelo de preservação do casario do Sítio Histórico vira manual

Modelo de preservação do casario do Sítio Histórico vira manual

Lançamento do guia integra os 35 anos das comemorações do título de Olinda como Patrimônio da Humanidade

Olinda está no ápice das comemorações de 35 anos do título de Cidade Patrimônio da Humanidade concedido pela UNESCO. Fomentando ações de preservação do acervo histórico arquitetônico, a Prefeitura de Olinda, através da Secretaria de Patrimônio e Cultura (Sepac) lançou, na última sexta-feira (15.12), na Biblioteca Pública da cidade, o 1º Guia Básico de Zeladoria do município. O objetivo do manual é instruir os moradores do Sítio Histórico a cuidarem corretamente dos imóveis tombados, prevenindo a degradação do patrimônio e mantendo as características originais do casario.

O conceito de zeladoria é uma política de educação patrimonial que prima pela qualificação e reforma dos bens culturais, que consiste na implementação de ações simples de conservação e preservação. As instruções seguem um roteiro que começa no quintal, tipo de solo, base da residência, piso, alvenaria, instalações elétricas, telhados, acabamentos e pintura. O lema é criar uma cultura de mais zeladoria e menos reforma.

“A concepção do trabalho valoriza a prevenção para que a reforma não aconteça. Se os moradores seguirem as recomendações e a periodicidade das manutenções contidas no guia, as casas não irão se deteriorar, mantendo a qualidade do imóvel e a qualidade de vida da população”, recomenda o secretário de Cultura e Patrimônio, Gilberto Sobral.

O Guia será distribuído em todas as residências tombadas e também ficará à disposição na Sepac para qualquer morador. O manual foi elaborado pelo Núcleo de Educação Patrimonial de Olinda (NEPO), setor que estava desativado havia oito anos e foi organizado pelo arquiteto, Clodomir Barros.

Juraci dos Santos, 76 anos, moradora do Sítio Histórico há 40 anos, mas nunca havia recebido um manual neste formato, aprova a produção do Guia de Zeladoria. “Eu gostei, a ideia é muito boa, é bom porque a gente aprende mais sobre o que pode e o que não pode fazer na casa, além de nos ajudar a cuidar corretamente do patrimônio”, fala aposentada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *