domingo, abril 21, 2019
Home > Cultura > Falta de bônus a professores esvazia 1º dia da Bienal do Livro de Pernambuco

Falta de bônus a professores esvazia 1º dia da Bienal do Livro de Pernambuco

0eab27c3bb97b00ec008392a37e0ceca.jpg

A briga judicial entre os livreiros e a Cia. de Eventos, produtora da Bienal Internacional do Livro de Pernambuco desde 2001, teve efeito negativo na estreia de uma das principais feiras de livro do Nordeste, na tarde desta sexta-feira (4). É que, com a polêmica, o Governo de Pernambuco deixou de patrocinar o evento e, consequentemente, não beneficiou os cerca de 26 mil professores com os bônus para compra de livros. Tanto docentes quanto editoras lamentaram a decisão da Secretaria Estadual de Educação. Resultado disso foi uma feira esvaziada na tarde de estreia.

A professora Maria Daliene, de 51 anos, veio de Petrolina, no Sertão pernambucano, especialmente para visitar a Bienal, mesmo após o corte no bônus de R$ 200. Visitante assídua da feita, ela levou a filha Ana Júlia, 11, para conhecer o mundo dos livros. “Não sabemos o motivo [do corte], ficamos sem resposta. O que sabemos é que fomos desrespeitados”, disse.

Socorro Bezerra, que trabalha em sala de aula há mais de 20 anos, também estava revoltada com a falta do benefício para adquirir novos livros. “Um País que não investe em livros está fadado à pobreza”, alfinetou. “Quem perdeu? Os professores, as editoras, os vendedores. A economia como um todo saiu perdendo”, concluiu.

Magnum Sales, da Cortez Editora, que participa da Bienal desde a primeira edição, achou a movimentação deste primeiro dia muito fraca. “Estamos sentindo muita falta dos professores”.

PAIXÃO POR LIVROS – Alheios às polêmicas que envolvem professores, bônus, governo, livreiros e produtora, o público em geral que visitou a feira no dia do lançamento encontrou uma diversidade de títulos e boas promoções. Há livros infantis com capa dura e gravuras em 3D a partir de R$ 5,50.

A advogada Luciana Darce, apaixonada por literatura, segurava uma sacola com seis obras, entre fantasia, romances e policiais. “Sempre gostei de livro, desde pequena, em particular dos clássicos”, disse a advogada, que é mediadora de um Clube do Livro em livraria da cidade.

A pequena Gabriela Veloso, de 8 anos, estava radiante em meio a tantos livros coloridos. “Eu gostei de todos eles”, disse, apontando para uma prateleira com obras de personagens como Barbie e Dora Aventureira. “Vim porque gosto de ler e incentivo a minha filha desde cedo”, afirmou Iara Veloso.

Com mais de 200 estandes de editoras e distribuidores, além de programação infantil, debates, oficinas e cursos, o evento segue gratuitamente até as 22h do dia 13 de outubro.

Com informações do NE10

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *