PMs armados começam a atuar dentro de 140 escolas públicas de Pernambuco

A partir desta quinta-feira (1), as escolas da rede pública do Estado passarão a contar com rondas internas de policiais militares armados. Desde junho do ano passado, 83 escolas faziam parte do projeto Patrulha Escolar. Agora, houve uma ampliação aprovada pelas secretarias de Defesa Social e de Educação, beneficiando 140 instituições de ensino estaduais. A maior parte dos colégios selecionados está localizada em bairros violentos e com alto índice de tráfico de drogas. Trinta são do interior de Pernambuco.

As novas escolas foram escolhidas por meio de critérios sociais e de vulnerabilidade. A ideia é diminuir atos infracionais dentro dos colégios, de maneira educativa, através do acompanhamento e observação da polícia. As coordenações e os pais de alunos ouvidos pela reportagem apoiam a iniciativa, pois se sentem mais seguros em relação ao combate ao consumo de drogas e à violência. Na escola estadual João Barbalho, na Boa Vista, Centro do Recife, os problemas diminuíram desde que a patrulha começou a atuar, em 2012. Com informações da TV Jornal.

Compartilhe essa notícia:

    Prefeito de Itamaracá rebate denúncias de tentar matar o vice



    Depois de tomar conhecimento das acusações feitas pelo vice-prefeito F. Macedo (PPS), nessa quarta-feira (31), o prefeito de Itamaracá, Paulo Batista (PPB), foi à delegacia do município acompanhado de um advogado. O prefeito negou as acusações e disse que o atentado e as denúncias de improbidade administrativa estão sendo armadas por F. Macedo, que estaria tentando cassar o mandato dele para ficar com o cargo. “Ele é maquiavélico e quer minha cadeira”, declarou o prefeito.


    Macedo alegou que sofreu um atentado, na madrugada de quarta, quando estava em casa com a família. Ele conta que homens armados atiraram contra a residência. O vice acredita que a tentativa de homicídio foi por causa das denúncias que ele fez contra Paulo de enriquecimento ilícitos e fraudes em licitações.

    O político PTB se defendeu também de uma gravação telefônica de um irmão dele com F. Macedo. Nela, os dois conversam sobre o possível nepotismo e outras irregularidades na gestão. O prefeito de Itamaracá diz que não se dá bem com o irmão. O advogado de Paulo garantiu que irá provar a inocência dele e depois dará entrada em uma ação contra F. Macedo por calúnia.

    Com informações do Blog do Jamildo

    Compartilhe essa notícia:

      GPCA investiga esquema de venda de crianças ofertadas no Facebook

      A Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA) está investigando um esquema de adoção ilegal e venda de crianças do Recife oferecidas no Facebook. Na página criada no início deste mês, mães negociam os filhos através de anúncios. Em um grupo criado com a mesma finalidade, uma pernambucana tentou vender um bebê por R$ 50 mil.

      página “Quero doar. Quero adotar seu bebê – Recife PE” foi feita por um usuário do Facebook que reside no Recife. Na teoria, o espaço seria utilizado para facilitar o contato entre mães que gostariam de doar seus filhos e possíveis candidatos à adoção. Na rede social, é possível encontrar anúncios de mães que gostariam de se desfazer de seus filhos, descrevendo as crianças como se fossem objetos. As autoridades já enviaram um ofício para os administradores do Facebook solicitando a exclusão da página e pedindo informações sobre as pessoas que participaram das negociações. A página foi retirada do ar no início da tarde desta quarta-feira (31).

      Segundo a polícia, existem outras páginas do tipo ativas em Pernambuco. A GPCA investiga também o caso de uma mulher de 19 anos que teria oferecido a filha por R$ 50 mil em um grupo no Facebook. Ela manteve contato com uma moradora da Bahia, que acabou fazendo a denúncia.

      Na conversa, a jovem diz não poder ficar com a filha, que nasceu prematura e estava internada em um hospital particular. Durante a investigação, o bebê faleceu em decorrência de complicações resultantes da prematuridade. De acordo com a polícia, o crime de oferecimento de criança por pagamento ou recompensa foi caracterizado e a mulher será indiciada, podendo pegar até quatro anos de prisão.

      Compartilhe essa notícia:

        Segurança do Hospital Miguel Arraes morre após ser esfaqueado

        Um segurança do Hospital Miguel Arraes, em Paulista, morreu nessa segunda-feira (29) após ser vítima de uma tentativa de homicídio na noite do último sábado (27). Rubens Luciano dos Santos, 43 anos, foi esfaqueado na Vila Torres Galvão, em Paulista, onde morava.

        O homem chegou a ser socorrido e foi levado para o Hospital Miguel Arraes, onde ficou internado. No entanto, não reagiu ao tratamento e faleceu nessa segunda-feira.

        Segundo a Polícia, Rubens dos Santos estava afastado do trabalho por motivos de saúde. O autor e o motivo do crime ainda não foram identificados. Com informações do JC online.

        Compartilhe essa notícia:

          Motel assaltado em Paulista

          Um motel foi assaltado, na cidade de Paulista, na Região Metropolitana do Recife, na tarde deste domingo (28). Três homens entraram no estabelecimento, que fica na PE-22, em Maranguape 1 e pediram um quarto. 

          Após 50 minutos, o grupo anunciou o assalto. Foram levados R$ 320, bolsas de funcionárias e celulares. O dono do motel acionou a Polícia Militar, que iniciou buscas no local. 

          Houve um tiroteio quando o grupo foi localizado e um dos assaltantes foi baleado na cabeça. Uma foto do suspeito foi mostrado à recepcionista, que reconheceu como um dos assaltantes. 

          A vítima foi levada para o Hospital Miguel Arraes, também em Paulista, e depois encaminhada para o Hospital da Restauração, na área central do Recife.

          Do JC Online

          Compartilhe essa notícia:

            PMs armados em 140 escolas do Estado no Grande Recife

            Cento e quarenta escolas estaduais, localizadas na Região Metropolitana do Recife, irão receber policiamento interno. Além da segurança da comunidade escolar, o objetivo do projeto Patrulha Escolar é transmitir palestras, incentivar o espírito cívico e proteger os alunos das drogas.

            As unidades com até mil alunos serão policiadas em um turno e as que ultrapassem esse quantitativo serão policiadas em dois turnos. Os turnos da Patrulha Escolar serão das 6h30 às 14h30 e das 14h30 até as 22h30.

            Além do policiamento dentro das escolas, a Patrulha Escolar terá três viaturas, em cada turno de serviço, com dois policiais para demandas relacionadas à segurança nas escolas. Nas ocorrências de maior complexidade, os policiais da Patrulha Escolar solicitarão apoio ao Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciods). Com informações do JC.

            Compartilhe essa notícia:

              Justiça arquiva investigação de boato sobre fim do Bolsa Família

              Brasília – O 3º Juizado Especial Criminal de Brasília determinou o arquivamento da investigação que apurava a autoria de boato, nos dias 18 e 19 de maio, sobre o fim do Programa Bolsa Família. O arquivamento do inquérito foi informado hoje (21) pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) em sua página na internet.

              Segundo o tribunal, o arquivamento da investigação do boato, que “teria ocasionado prejuízo à Caixa Econômica [Federal], bem como pânico e tumulto em todo o país”, foi pedido pelo Ministério Público por não identificar “nenhuma comprovação idônea e adequada de que o crime em investigação tenha sido praticado”.

              Para o arquivamento do inquérito, o juizado destacou o relatório produzido pela Polícia Federal, divulgado no dia 12 de julho, que também concluiu pela inexistência de elementos que possam configurar crime e até mesmo que uma pessoa ou grupo tenha causado o boato. 

              Durante evento realizado na última quinta-feira (18), em Fortaleza (CE), a presidenta Dilma Rousseff disse que as investigações da Polícia Federal não deram uma explicação conclusiva sobre o caso e reforçou que o Bolsa Família será mantido enquanto houver pessoas que necessitem dele, sendo um compromisso de seu governo.

              Por Danilo Macedo Repórter da Agência Brasil

              Compartilhe essa notícia:

                PF investiga fraudes no Programa Minha Casa, Minha Vida

                Uma operação da Polícia Federal (PF), com apoio da Controladoria-Geral da União (CGU), investiga irregularidades na execução do Programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal. Segundo nota da Polícia Federal em São Paulo, oito mandados de busca e apreensão foram cumpridos: seis deles em São Paulo, um em Fortaleza e um em Brasília.

                A operação recebeu o nome de 1905, em referência às iniciais do programa MCMV, que lembram um algarismo romano. A ação teve início após determinação do Ministério da Justiça, a partir da veiculação de denúncias na imprensa sobre o programa. A operação investiga crimes de estelionato, tráfico de influência e lavagem de dinheiro, com penas que podem chegar a 32 anos de prisão.

                De acordo com a PF, o esquema investigado tem o envolvimento de instituições financeiras, correspondentes bancários e empresas de fachada, que teriam desviado recursos destinados à construção de casas populares em municípios com menos de 50 mil habitantes. Há indícios, segundo o órgão, de participação de ex-servidores do Ministério das Cidades, que valiam-se de informações e de influência para prestar serviços inexistentes ao programa.

                As empresas investigadas, informou a Polícia Federal, atuavam em todas as fases do programa, desde a concessão, fiscalização da implementação das obras, indicação das construtoras e liberação dos recursos até a construção das casas.

                Procurado pela Agência Brasil, o Ministério das Cidades não se pronunciou até o momento sobre a investigação.

                Fonte: Agência Brasil

                Compartilhe essa notícia:

                  Após investigação, PF chega à conclusão de que boato do Bolsa Família foi ‘espontâneo’

                  Agência da Caixa, em Paulista, foi uma das que ficou lotada. (Foto: Wanessa Andrade / TV Globo)

                  Agência da Caixa, em Paulista, foi uma das que ficou lotada. (Foto: Wanessa Andrade / TV Globo)

                  A Polícia Federal concluiu que o boato sobre o Programa Bolsa Família, que provocou grandes filas e tumultos em agências da Caixa e casa lotéricas de 12 Estados no fim de semana dos dias 18 e 19 de maio, “foi espontâneo não havendo como afirmar que apenas uma pessoa ou grupo tenha os causado”. “Conclui-se, assim, pela inexistência de elementos que possam configurar crime ou contravenção penal”, afirma a PF.

                  A investigação sobre os boatos do Bolsa Família foi encerrada nesta sexta feira, 12. A PF encaminhou o relatório final ao Juizado Especial Criminal do Distrito Federal.

                  Entre as linhas de investigação da PF foi analisada possível utilização de redes sociais para propagação dos boatos. Foi identificada uma postagem, na rede social com maior número de usuários no Brasil, feita pela filha de uma beneficiária da cidade de Cajazeiras (PB) informando sobre o saque antecipado de sua mãe. Essa foi a primeira menção na internet a respeito do assunto.

                  “No entanto, a postagem desta informação não foi a origem dos boatos. Assim sendo, a internet e as redes sociais apenas reproduziram notícias veiculadas pela imprensa sobre os tumultos em agências bancárias”, informa a PF.

                  “Da mesma forma, não ficou configurada a utilização de rádios comunitárias, telemarketing ou empresa contratada para a disseminação da informação de cancelamento do programa”, destaca a investigação da PF. “Apenas uma beneficiária no Rio de Janeiro noticiou ter recebido telefonema a respeito, depoimento que não se repetiu em nenhuma outra oitiva.”

                  Para que fossem identificados os primeiros beneficiários, a Polícia Federal solicitou à área operacional da Caixa Econômica Federal os registros de saques realizados no período, bem como o padrão dos saques realizados nos meses anteriores.

                  Foram ouvidas formalmente 181 pessoas no inquérito da PF – entre eles os primeiros sacadores de recursos do Bolsa Família, movidos pelos boatos de cancelamento do Programa. Do cruzamento dessas informações, a PF constatou aumento anormal no volume de saques nas cidades de Ipu (CE) e Cajazeiras (PB) já nas primeiras horas do sábado, dia 18 de maio.

                  Essas duas cidades apresentaram, proporcionalmente, o maior número de saques dos benefícios no final de semana. A partir das 11 horas da manhã do mesmo dia, verificou-se aumento incomum nas demais cidades que sofreram grande procura nas agências bancárias.

                  A análise dos dados permitiu a identificação e entrevista de 181 beneficiários dos Estados de Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio de Janeiro. Entre esses beneficiários, constam os primeiros sacadores das cidades de Ipu e Cajazeiras, além daqueles que foram às agências bancárias a partir das onze horas do dia 18 de maio nas demais cidades. Também foram ouvidos 64 gerentes da Caixa Econômica Federal nas localidades onde ocorreu o maior volume de saques.

                  Das pessoas ouvidas, aproximadamente 40% encontrava-se na data correta do cronograma de pagamento da bolsa. Entre os motivos que levaram os demais beneficiários às agências bancárias, constam: a ciência da antecipação do pagamento por motivos diversos, a informação de um possível adicional em virtude do dia das mães e a notícia de um suposto cancelamento do programa, respectivamente.

                  A PF analisou diversas linhas investigativas para apurar se houve articulação na divulgação do cancelamento do programa. Foram empenhados esforços para apurar uma possível articulação coordenada para que os boatos surgissem e ganhassem corpo.

                  Entre essas linhas de investigação, foi analisada possível utilização de redes sociais para propagação dos boatos. Foi identificada uma postagem, na rede social com maior número de usuários no Brasil, feita pela filha de uma beneficiária da cidade de Cajazeiras/PB informando sobre o saque antecipado de sua mãe. Essa foi a primeira menção na internet a respeito do assunto.

                  No entanto, a postagem desta informação não foi a origem dos boatos. Assim sendo, a internet e as redes sociais apenas reproduziram notícias veiculadas pela imprensa sobre os tumultos em agências bancárias.

                  Fonte: Agência Estado

                  Compartilhe essa notícia:

                    Polícia Federal vai investigar empresa TelexFree

                    Brasília – O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou hoje (8) a abertura de investigação policial relativa às atividades da empresa TelexFree no país. O órgão informa que vem apurando denúncias sobre a empresa desde janeiro, por meio da Secretaria Nacional do Consumidor.

                    A suspeita é de explorar o sistema comercial conhecido como pirâmide financeira, proibido no Brasil. O modelo se mantém por meio do recrutamento progressivo de pessoas, até chegar a níveis que tornam o retorno financeiro insustentável. Estima-se que a Telexfree tenha arregimentado pelo menos 1 milhão de pessoas no Brasil.

                    O Ministério da Justiça informa que já havia pedido ajuda para apurar o caso, como à Comissão de Valores Mobiliários, ao Banco Central, à Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda e ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica. Esses órgãos apontaram indícios de crime contra a economia popular, esquema de pirâmide financeira e evasão de divisas.

                    No mês passado, o Departamento de Defesa do Consumidor abriu processo administrativo envolvendo a TelexFree por indícios de formação de pirâmide financeira e ofensa ao Código de Defesa do Consumidor.

                    Também nesta segunda-feira, o Tribunal de Justiça do Acre manteve a decisão que suspendeu as atividades da TelexFree. De acordo com entendimento da 2ª Câmara Cível, a empresa não pode fazer novos cadastros de divulgadores e está impedida de pagar aos apoiadores já cadastrados. A decisão vale até o julgamento final do caso, sob pena de multa diária de R$ 500 mil.

                    A defesa da empresa tentou, sem sucesso, reverter entendimento individual do relator do caso, desembargador Samoel Evangelista. De acordo com o voto do magistrado, apoiado hoje por unanimidade, os advogados da TelexFree não apresentaram fundamentos legais para suspender os efeitos da decisão de primeira instância. Agora, o tribunal acriano agora vai analisar mérito do caso.

                    A decisão de suspender as atividades da empresa resultaram em uma série de reclamações em órgãos como o Conselho Nacional de Justiça e o Superior Tribunal de Justiça. Ambos divulgaram nota alegando que não é possível interferir em processo judicial em curso.

                    Com informações de Débora Zampie Repórter da Agência Brasil

                    Compartilhe essa notícia:

                      PM vai intervir para garantir circulação de ônibus na RMR

                      Pelo menos 800 homens da Polícia Militar estarão nas ruas do Grande Recife nesta sexta-feira (5) para garantir que o serviço de transporte público volte a funcionar normalmente. De acordo com o secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, aquele que tentar impedir a circulação dos coletivos deverá ser preso em flagrante. A decisão é uma das medidas tomadas nesta quinta-feira (4) pelo Governo do Estado para colocar um fim na greve dos rodoviários, que foi considerada ilegal na última terça (2) pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT-PE).

                      Compartilhe essa notícia:

                        Uso de bala de borracha deve ter limites, diz fabricante

                        Banalizado na contenção dos protestos dos últimos dias no Brasil o uso da bala de borracha deve ser restrito a casos de distúrbios violentos, nos quais há risco à vida ou à integridade física das pessoas, e quando as tecnologias de menor potencial ofensivo são insuficientes. A afirmação é de Massilon Miranda, diretor de marketing da Condor Tecnologias Não-Letais, líder brasileira na fabricação de equipamentos não letais para controle de distúrbios. “Deve ser um dos últimos recursos na escala de uso”, declarou.

                        Além disso, a utilização deve estar de acordo com princípio do uso gradual e proporcional de força, estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU).

                        Em relação a supostos exageros durante protestos, na avaliação de Miranda, “a simples análise de algumas imagens não dá uma noção clara se a utilização foi correta ou não”. “Somente o comandante da operação poderia avaliar isso, considerando a violência que a polícia enfrentou, o efeito causado por eventuais outras tecnologias utilizadas e outras características do confronto”, disse.

                        “Na segunda-feira, vimos imagens de vandalismo exacerbado no Rio de Janeiro, onde a utilização poderia ter sido empregada de forma a proteger a vida dos policiais e dos próprios manifestantes”, afirmou. Mais cedo, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), proibiu o uso de balas de borracha pela polícia em manifestações públicas em todo o Estado de São Paulo. A medida foi tomada após manifestantes e jornalistas ficarem feridos na última semana na capital paulista.

                        Conforme o diretor da Condor, quando corretamente utilizada, a bala de borracha provoca, no máximo, “dor intensa, ferimentos leves na pele e hematomas”. Ele recomenda que vítimas sejam levadas imediatamente a um serviço médico para avaliar os ferimentos e adotar as medidas cabíveis para amenizar os sintomas.

                        “A sua principal vantagem é incapacitar temporariamente pessoas violentas, de forma rápida e eficaz, sem causar mortes ou lesões permanentes”, declarou Miranda. “O uso dessa tecnologia permite preencher a lacuna entre não fazer nada e atirar contra a multidão com munição letal, que seriam as únicas providências possíveis, caso as tecnologias não letais não estivessem disponíveis.”

                        Miranda explicou que a bala de borracha se enquadra na categoria “projéteis de impacto controlado”, ao lado dos dispositivos eletrônicos incapacitantes, mais conhecidos como pistolas elétricas. Ambos estão no último degrau da não letalidade e não podem, segundo ele, ser classificados como “de efeito moral”, denominação dada a uma granada explosiva não letal específica.

                        Fonte: Agência Estado

                        Compartilhe essa notícia:

                          Clima segue tenso próximo à sede provisória do Governo, em Olinda

                          20Manifestantes se encontram neste momento, próximo à sede provisória do Governo do Estado, no Centro de Convenções, em Olinda.

                          A Polícia Militar fez uma barreira com aproximadamente 300 policiais do Batalhão de Choque e da Cavalaria da PM foi formada para impedir a passagem do grupo.

                          Manifestantes pedem a liberação do caminho para entrar nas dependências do Centro de Convenções e tentar dialogar com o governador Eduardo Campos.

                          Mais a ordem continua sendo para que apenas um grupo formado por 10 pessoas seja autorizado. 

                          Compartilhe essa notícia:

                            Carro com policiais militares capota em Itamaracá

                            Dois policiais militares foram socorridos para a Unidade de Pronto Atendimento  (UPA) de Cruz de Rebouças, no Litoral Norte de Pernambuco, após a viatura capotar na estrada que leva ao Forte Orange, em Itamaracá, na noite deste sábado (22). As vítimas passam bem, segundo a PM. O Samu prestou socorro.

                            Por volta das 20h, os policiais foram atender a uma ocorrência na casa de um político pernambucano cujo alarme teria disparado. Durante o trajeto, um carro teria trancado a viatura, que desviou para o acostamento e capotou por conta de buracos na via.

                            Nem a PM nem a Delegacia de Plantão de Paulista, responsável por cobrir a região, confirmaram se a residência foi alvo de criminosos. Com informações do G1

                            Compartilhe essa notícia:

                              A SDS pede ajuda da população para identificar vândalos em protestos no Recife

                              A Secretária de Defesa Social de Pernambuco (SDS) está solicitando a todos os manifestantes que participaram pacificamente de manifestações democraticamente, a ajuda para identificar os responsáveis por atos de arruaça, baderna e desordem, juntamente dos eventuais quebra-quebras durante todos os protestos que foram realizados em Pernambuco.

                              Pede também que os participantes dos protestos possam estar enviando para o e- mail falecomasds@sds.pe.gov.br fotos, ou vídeos feitos durante as manifestações que comprovem os atos, e para que se possa em tempo hábil ser realizada a identificação dos vândalos. O objetivo maior da policia cível é a investigação de tudo o que for encaminhado, para que se possa ser feito a punição necessária pelos atos cometidos. A SDS também garante o anonimato do colaborador.

                              Redação do Informe-PE, Por Rafaela Martins

                              Compartilhe essa notícia:

                                Mulher escapa de tentativa de estrupo no Janga

                                Uma mulher de 22 anos foi baleada na cabeça na madrugada desta quarta-feira (18), no bairro do Janga, que fica localizado em Paulista, Região Metropolitana do Recife, depois de reagir a uma tentativa de estupro.

                                Quatro homens chegaram à porta da sua residência chamando por “vó”, a própria avó de Jéssica Souza da Paixão, pediu para que a vitima não abrisse a porta, pois desconfiava da ação dos algozes, não ouvindo a avó, Jéssica abriu a porta e um dos homens a colocou dentro de um carro preto e a conduziram até o Janga, ao informa-la que ela teria que praticar sexo com os quatro homens que estavam dentro do carro, ela se recusou e o motorista mandou que ela saísse do veiculo, ao descer do automóvel o homem disparou vários tiros, um deles acertaram de raspão a cabeça da vitima.

                                Jéssica permanece internada em estado estável em uma unidade de atendimento no Recife. A investigação do crime ficará por conta da Delegacia do Município de Paulista.

                                Redação do Informe-PE, Por Rafaela Martins

                                Compartilhe essa notícia:

                                  Dupla de suspeitos em uma moto está realizando assaltos no bairro de Jardim Paulista

                                  Moradores do bairro de Jardim Paulista Baixo, em Paulista estão com medo até de ficar sentados enfrente de suas residências, isso por que nos últimos dias vem acontecendo inúmeros assaltos no bairro em qualquer hora do dia.

                                  Segundo informações são dois rapazes em uma moto, conhecida por “cinquentinha” que estão roubando as pessoas, quando eles fazem as abordagens eles pedem logo os celulares das vitimas que na maioria são adolescentes e senhoras.

                                  Foi assim que aconteceu no ultimo fim de semana, onde quatro jovens estavam conversando enfrente da residência de um deles localizada na Rua 39, no bairro de Jardim Paulista Baixo, quando os dois suspeitos se aproximaram e roubaram os celulares dos adolescentes, lembrando que os dois estavam portando armas de fogo.

                                  Redação do Informe-PE, Por Sidcley Alves

                                  Compartilhe essa notícia:

                                    Casal de estrangeiros é assaltado no Alto da Sé, em Olinda

                                    Sob as lentes de uma das câmeras da Secretaria de Defesa Social (SDS), em frente ao Museu de Arte Sacra de Pernambuco (Maspe), no Alto da Sé, em Olinda, uma argentina foi agredida durante 20 minutos por um assaltante que, após roubar R$ 2 mil, fugiu sem deixar pistas.

                                    A argentina, que está grávida de dois meses e mora em Olinda há 2 anos, tinha acabado de sacar a quantia no banco Bradesco do Bairro Novo por volta das 17h desta quinta-feira (6), quando seguiu para o Alto da Sé em uma van particular. Assim que o motorista a deixou no local, dois homens chegaram em uma motocicleta e um deles anunciou o assalto.

                                    Segundo informações do marido da vítima, natural da Itália, a mulher reconheceu o ladrão e disse ter visto ele dentro do banco, o que configura um roubo conhecido como “saidinha de banco”. “Ela reagiu ao assalto e não queria dar a bolsa ao ladrão, que a arrastou pelo chão”, conta o esposo, que preferiu preservar a identidade do casal. Após a reação da mulher, o acusado mostrou a arma e ameaçou a vítima. Mesmo assim, a turista não facilitou a ação e chegou a ficar em posse do revólver. Entretanto, o homem conseguiu se recuperar e levar a bolsa. Ele subiu de volta na moto e fugiu. Além dos R$ 2 mil, também estavam dentro da bolsa o celular e documentos. O casal prestou queixa na Delegacia de Casa Caiada.

                                    O assalto foi testemunhado por alguns comerciantes do Alto da Sé. Policiais militares haviam deixado o local cerca de 20 minutos antes do ocorrido, porém, agentes da CiaTur Olinda (Companhia Independente de Apoio ao Turista), que fica na Praça do Carmo, não estavam sabendo do incidente. 

                                    “Deveria ter um posto policial ou uma viatura durante 24h aqui na Sé. Nós trabalhamos com medo”, expressou uma das tapioqueiras que ajudaram a turista a se recuperar após o assalto. “Quando o bandido mostrou a arma estavam passando crianças de uma escola. Todos ficaram bastante assustados”, detalhou. O Alto da Sé é um dos pontos turísticos mais visitados de Olinda. Com informações do NE10

                                    Compartilhe essa notícia:

                                      Estudante agride colega de sala em escola de Paulista

                                      Um estudante de 14 anos agrediu uma colega de sala de 13 anos em uma escola pública de Paulista, no Grande Recife, nessa quarta-feira (29). Depois de levar vários socos e pontapés, a menina teve que ser atendida na UPA de Igarassu. Os alunos da escola Governador Eraldo Gueiros Leite, em Arthur Lundgren 2, ficaram revoltados com a agressão e tentaram linchar o menino, que teve que sair do colégio escoltado pela polícia até a Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA).

                                      O menino vai responder na Justiça pela lesão corporal. A jovem agredida está usando um colar cervical, por causa das muitas dores nas costas. Com informações da TV Jornal

                                      Compartilhe essa notícia:

                                        Estudante agride professora em escola no Janga

                                        Um estudante de 13 anos agrediu uma professora na Escola Municipal Governador Miguel Arraes, localizada no bairro do Janga, em Paulista, nessa terça-feira (28). O menino bateu a porta no rosto da docente e arremessou uma cadeira contra ela depois que a mulher questionou as muitas faltas do jovem. Ele vai responder pela ação na justiça e poderá cumprir medida socioeducativa. O caso está sendo apurado pela Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA). Com informações da Rádio Jornal

                                        Compartilhe essa notícia:
                                          background