Tentativa de assalto termina em morte em Pauista

kombi-funase-01

Uma tentativa de assalto terminou em morte na tarde de ontem (03/09) em Paulista (RMR).

O suspeito, Evangelista de 51 anos que de acordo com informações de populares teria pego uma carona na Kombi que estava a serviço da Secretaria de Saúde do estado na ladeira da Mirueira e era dirigida pelo funcionário Vanilson Batista dos santos de 60 anos que estava indo levar alguns chegues para serem efetuados pagamentos no Hospital Miguel Arraes também em Paulista.

Quando o veiculo chegou nas Proximidades no terminal integrado Pelópidas Silveira o suspeito anunciou o assalto portando uma faca peixeira, nisso houve uma luta corporal onde o motorista do veiculo conseguiu desarmar o suspeito e deferiu alguns golpes no acusado.

De acordo com a delegada Gleide Ângelo o acusado já havia sido preso uma vez e estava sendo procurado pela justiça. A delegada ainda informou que o motorista irá responder processo por homicídio em liberdade alegando legítima defesa.

kombi-funase-02
Por Sidcley Alves

Compartilhe essa notícia:

    Disque Denúncia oferece recompensa para informações sobre roubos de veículos

    O Disque Denúncia de Pernambuco está oferecendo recompensa de até 2 mil reais para quem repassar informações que levem à prisão de pessoas ou quadrilhas especializadas em roubos e furtos de veículos e também a locais de desmanche.

    As informações podem ser repassadas pelos telefones 3421-9595, na Região Metropolitana do Recife. No interior o telefone é o 3719-4545. Com anonimato garantido, as denúncias também podem ser encaminhadas através do site do Disque Denúncia de Pernambuco.

    Compartilhe essa notícia:

      Furto na Loja Mirelle no centro do Paulista

      mireleNa tarde desta quarta-feira (28), durante o apagão que afetou todo o Nordeste, supostamente uma mulher entrou na Loja Mirelle, situada no centro do Paulista e tentou furtar objetos do estabelecimento.

      mirelleO que causou um grande tumulto no local, e a Polícia Militar foi acionada. Ninguém quis se pronunciar pelo ocorrido.

      Redação do Informe-PE, Por Rafaela Martins

      Crédito de Imagem: Isabella Silva

      Compartilhe essa notícia:

        SDS irá apurar acusação de estudante de direito contra policiais

        Uma sindicância será aberta para esclarecer possíveis excessos por parte de policiais civis no caso da estudante de direito que teria sido torturada e sequestrada na última quinta-feira (22) no Recife. Segundo a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS), os policiais teriam cumprido um mandado coercitivo contra Vatsyani Marques Ferrão, 43 anos, para que ela prestasse esclarecimentos sobre denúncias feitas pelo síndico do prédio por injúria.

        Segundo o secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, já existiam duas intimações para que Vatsyani comparecesse à Delegacia do Idoso. Segundo a SDS, o síndico do prédio, que é idoso, havia prestado queixa contra a estudante por injúria. Também foram expedidas duas intimações para a mãe de Vatsyani, Zelane Marques, 43.

        Como nenhuma das duas compareceu à delegacia, foi expedido o mandado coercitivo, que não é prisional, mas obriga o intimado a comparecer à delegacia e, caso ele não aceite, os policiais podem fazer uso da força. 

        Segundo a SDS, quando os policiais chegaram à casa da estudante, ela teria rasgado o mandado e resistido a ser conduzida até a delegacia. Após a reação, ela teria quebrado o crachá de um dos oficiais e agredido fisicamente outro no rosto.

        O secretário informou que Vatsyani realmente foi levada a força, por se tratar do cumprimento de um mandado coercitivo, mas sobre a gravidade dos hematomas, ele disse que será aberta uma sindicância para identificar possíveis excessos.

        Vatsyani Marques Ferrão marcou uma coletiva de imprensa para a tarde desta terça-feira (27), em frente à Delegacia do idoso, na Boa Vista, para esclarecer o caso. O advogado da estudante, André Henrique Fonseca, no entanto, já adiantou que a cliente não aceita a versão da SDS. Com informações da Rádio Jornal.

        Compartilhe essa notícia:

          Estudante de direito acusa policiais civis de sequestro e tortura

          A estudante disse ter sido sequestrada por policiais lotados na Delegacia do Idoso

          A estudante disse ter sido sequestrada por policiais lotados na Delegacia do Idoso

          Uma estudante de direito do Recife acusa dois agentes da Polícia Civil de Pernambuco de a terem sequestrado e a espancado, na manhã da última quinta-feira (22), no Centro da capital pernambucana.

          Vatsyani Marques Ferrão, 43 anos, fez as acusações em sua página pessoal no Facebook. Segundo ela, os policiais seriam lotados na Delegacia do Idoso. A mãe de Vatsyani, Zelane Marques, 65 anos, também teria sido agredida no episódio, antes de os homens arrastarem a filha para um veículo preto, descaracterizado.

          O crime teria acontecido no bairro da Boa Vista, às 10h40. A versão contada por Vatsyani Marques Ferrão no Facebook é confirmada pelo advogado da universitária, André Henrique Fonseca, que diz ter registrado o suposto sequestro na Delegacia de Santo Amaro, com a realização de um exame de corpo de delito, e pretende levar o caso à Corregedoria da Secretaria de Defesa Social (SDS) nesta terça-feira (27).

          A estudante conta que saía da casa da mãe, de carro, quando pelo retrovisor a viu sendo agredida por dois homens. Retornou de imediato, achando tratar-se de um assalto. 

          Enquanto estava no veículo, conta a estudante no Facebook, os dois homens teriam continuado a agredí-la. “Começaram a me torturar, o que estava na direção me dava cotoveladas no rosto e o outro ficava com o revólver me ameaçando por eu estar gritando muito…eles sabiam tudo da minha vida, a placa do meu carro e o meu endereço.. quanto mais eu gritava mais era torturada.. o motorista puxou muito meus cabelos e deu muita cotovelada no meu rosto”, relata.

          Ela foi levada até a Delegacia do Idoso, onde teria sido espancada novamente. Vatsyani só foi liberada, segundo ela, após a chegada do delegado Eronildo Rodolfo de Farias, titular da Delegacia do Idoso – a informação foi confirmada pelo Chefe da Polícia Civil, Osvaldo Moraes. Segundo o advogado, a acusação feita contra ela foi de desacato à autoridade.

          Diante da possibilidade de a estudante ter sido agredida por ter participado dos protestos ocorridos na última quarta-feira no Centro do Recife, quando um ônibus foi incendiado, uma estação de bike share foi destruída, além de outras depredações, o advogado nem confirmou nem negou a possibilidade.

          Em contato com a assessoria de imprensa da Secretaria de Defesa Social, o órgãoa firmou que a Corregedoria de Polícia já teria instaurado uma sindicância. 

          Do NE10

          Compartilhe essa notícia:

            Polícia promete agir com mais rigor durante as manifestações

            PM agir com mais rigor nas manifestações de rua. Foto: Arthur de Souza/Esp.DP/D.A Press

            PM agir com mais rigor nas manifestações de rua. Foto: Arthur de Souza/Esp.DP/D.A Press

            A polícia militar vai agir com mais rigor nas manifestações de rua. O aviso foi dado na manhã desta quinta-feira pelo próprio secretário de Defesa Social de Pernambuco (SDS), Wilson Damásio, durante entrevista coletiva sobre os protestos realizados ontem no Recife, que terminaram com um saldo de vandalismo e violência. “Isso não é movimento social, é bandidagem, vandalismo, Tem que ser reprimido”, classificou.

            Segundo ele, atendendo a um pedido do próprio governador Eduardo Campos, a polícia vai subir em um nível no protocolo de ações. Na prática, serão intensificadas as vistorias, priorizando os grupos mascarados. Aqueles que se recusarem, serão presos por desobediência e desacato. 

            Ainda de acordo com o secretário, o efetivo empregado não será alterado. “A sociedade quer essa reação. A ação deve ser de acordo com o ato praticado. A polícia estava retraída, apenas acompanhado e dando seguranças às manifestações, desde o dia 20 de junho”. 

            Um inquérito policial foi aberto para investigar as ações praticadas ontem, quando três pessoas chegaram a ser detidas, mas liberadas por falta de provas.  O delegado Darlison Macedo, designado para ficar à frente das investigações, tem um prazo de 30 dias para concluir os trabalhos.

            O serviço de inteligência da polícia está atuando com a troca de informações entre as policiais de São Paulo e Rio de Janeiro, para tentar identificar os integrantes de grupos com ação interestadual. O secretário também pediu apoio da população para identificar e localizar os suspeitos, que vão responder a inquéritos individuais.

            Durante a entrevista foram mostradas pedras que teriam sido jogadas pelos manifestantes e bexigas cheias de material inflamável.

            Com informações da repórter Marcionila Teixeira do DP

            Compartilhe essa notícia:

              Comerciantes chineses são presos no Recife em operação antipirataria

              Uma operação da Receita Federal em parceria com a Polícia Civil resultou na prisão, na manhã desta terça-feira (20), de um grupo de dez comerciantes chineses acusados de pirataria e contrabandos de produtos.

              A operação surgiu a partir das investigações do delegado Alfredo Jorge a respeito de uma briga entre comerciantes chineses, onde um deles foi esfaqueado, e visa coibir a disputa pelo território de vendas no Centro do Recife.

              Os policias chegaram cedo ao apartamento onde moram os chineses, o edifício Pier Duarte Coelho, as famosas Torres Gêmeas, no Centro do Recife. Eles apreenderam todos os documentos dos comerciantes e alguns computadores.

              Os suspeitos foram levados até a sede da Receita Federal no Recife. Com informações do JC.

              Compartilhe essa notícia:

                Pirâmide até dentro do quartel

                Empresa prometia até R$ 14.500 de lucro ao mês, desaparece e é denunciada por militares / Reprodução do site

                Responsáveis por trabalhar pela segurança dos pernambucanos, bombeiros e policiais militares foram vítimas de uma pirâmide financeira que explodiu entre soldados, cabos e oficiais. A Lucro Limpo Reciclagem tem todos os elementos das principais pirâmides investigadas no País: se diz do ramo de marketing multinível, tinha foco em atrair mais pessoas para sua rede e pagava lucros altos em troca da cobrança pela adesão. A diferença para as outras dezenas de negócios é que ela cresceu e ruiu prejudicando quase que exclusivamente militares, que apenas esta semana começaram a denunciar o esquema à Delegacia de Repressão ao Estelionato do Recife.

                A Polícia estima que foram cerca de 600 pessoas prejudicadas. Quem tomou prejuízos, rombos de até R$ 30 mil, acredita que o número pode chegar a 900 pessoas.

                Como todas as empresas investigadas que exploram o sistema de pirâmide, a Lucro Limpo apareceu com uma “ousada” proposta de negócios: gerar altíssimos rendimentos a partir do tratamento de material reciclável.

                A promessa da empresa que encheu os olhos de muita gente foi, a partir de uma adesão inicial de R$ 70 a R$ 2.800, pagar um rendimento fixo de R$ 880 por mês ao investidor, desde que ele indicasse mais cinco pessoas. Mas se o volume de pessoas indicadas fosse muito alto, o lucro mensal poderia chegar a R$ 14.500.

                “Por cinco meses eu recebi direitinho. Depois o limite de investimento acabou. Foi quando todo mundo investiu mais. Eu peguei um empréstimo e apliquei R$ 11 mil. Foi quando a empresa desapareceu”, diz um bombeiro que não quer se identificar.

                Apesar de toda a situação ter ocorrido no âmbito civil e não haver nenhuma relação com as instituições militares, as vítimas têm medo da exposição e de eventuais represálias da corporação, por isso evitavam denunciar o caso.

                Mas os prejudicados, que perderam até R$ 30 mil, começaram a entrar em desespero porque o responsável pela Lucro Limpo (razão social Atmosfera Reciclagem), o soldado Nelson D’Angelo Junior, membro do Grupamento de Resgate, simplesmente desapareceu, a ponto de um processo administrativo ter sido aberto pelo Corpo de Bombeiros por deserção, o equivalente dos militares para o abandono de cargo entre os servidores civis.
                Além de tudo isso, a Lucro Limpo ainda começou a apagar os seus rastros, incluindo a desativação do site da empresa.

                “Realmente registramos vários boletins de ocorrência de soldados da PM e do Corpo de Bombeiros. Nós já estamos tomando as primeiras providências para investigar o caso”, explica o delegado de Repressão ao Estelionato, Rômulo Aires.

                O delegado adianta que, a princípio, o problema gerado pela Lucro Limpo não parece estelionato. Se configurada a situação denunciada pelos militares, aparentemente trata-se de crime contra a economia popular, mesmo acusação que pesa contra outras empresas suspeitas de serem pirâmides, como a pernambucana Priples, a goiana BBom e a Ympactus Comercial, a Telexfree, que se apresenta como multinacional com sede brasileira no Espírito Santo.

                MEDO DE EXPOSIÇÃO

                O medo de ser identificado tem impedido os militares de fazer a denúncia sobre o caso do Lucro Limpo, de propriedade do soldado bombeiro Nelson D’Angelo Junior, na esfera administrativa, segundo o coordenador da Associação dos Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE), Renílson Bezerra dos Santos. Por meio de sua assessoria de imprensa, o Corpo de Bombeiros garantiu que não haverá represálias contra as vítimas que denunciarem o golpe e ainda incentivou a formalização das reclamações à corporação, para averiguação de possível crime militar.

                “O que eu vejo é que a maioria das vítimas tem medo de aparecer. As pessoas não querem ser punidas no quartel”, enfatiza Renílson. “Os PMs e soldados só buscaram a Polícia como último recurso. Eles não querem exposição”, afirma o delegado de Repressão ao Estelionato, Rômulo Aires.

                “Espero que agora um corajoso apareça e denuncie publicamente o problema, porque muitas pessoas já sofreram uma barbaridade com os casos mais conhecidos de pirâmides”, diz o coordenador da ACS-PE.

                Procurado pela reportagem do JC, o Corpo de Bombeiros de Pernambuco, através de sua assessoria de imprensa, garantiu que a corporação não tem absolutamente nenhuma intenção de punir as pessoas que denunciarem o caso, principalmente tendo em vista que não há qualquer envolvimento da instituição no assunto. Toda a questão afeta a vida civil dos prejudicados, ou seja, a vida particular dos policiais e bombeiros, fora do universo militar.

                Pelo contrário, informa a assessoria de imprensa dos Bombeiros, tendo em vista que o proprietário da Lucro Limpo é um bombeiro já investigado em um processo administrativo por deserção atualmente em curso, denúncias à corporação podem servir para motivar uma averiguação formal de prática de um eventual crime militar devido ao prejuízo coletivo imposto pelo esquema financeiro.

                Do JC

                Compartilhe essa notícia:

                  Criminosos fazem família de gerente refém e roubam R$ 800 mil de banco em Paulista

                  Reprodução TV Globo

                  Imagem reprodução TV Globo

                  Uma agência do Itaú situada no Centro de Paulista, na Região Metropolitana do Recife, foi assaltada na manhã desta quarta-feira (7). De acordo com o tenente Cláudio Batista, do 17º Batalhão de Polícia Militar, os suspeitos do crime renderam o gerente da unidade em casa, no bairro de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, também na RMR, e fizeram a família dele refém para obrigá-lo a abrir o banco.

                  Os criminosos teriam abordado o gerente por volta das 6h30. Três homens ficaram com a família e outros três seguiram com o funcionário para a agência, em Paulista. O trio aguardou a chegada dos vigilantes, que também foram rendidos. De acordo com a PM, a tesoureira foi obrigada a abrir o cofre. Ainda segundo a PM, o grupo fugiu levando R$ 800 mil. A família do gerente já foi liberada.

                  Testemunhas relataram que os suspeitos fugiram no sentido BR-101 Sul em um Corolla amarelo. Segundo o tenente, tudo indica que a ação foi bem planejada, visto que os suspeitos tinham conhecimento da rotina do gerente. Ninguém foi ferido durante a ação.

                  A agência permanece fechada nesta quarta-feira (7). Procurado pelo G1, o banco Itaú informou, através de nota, “que está colaborando com as investigações prestando todas as informações necessárias às autoridades responsáveis”.

                  Do G1

                  Compartilhe essa notícia:

                    Casal de turistas franceses tem câmera roubada em Olinda

                    Um casal de turistas franceses foi assaltado na tarde desta segunda-feira (5) enquanto fazia um passeio pelo bairro do Varadouro, em Olinda. De acordo com informações da polícia, os turistas tiveram a câmera fotográfica roubada por dois adolescentes, um de 12 e outro de 15 anos, por volta das 15h30. Minutos depois, os menores foram apreendidos por policiais militares, no mesmo bairro.

                    Os adolescentes foram levados à Delegacia de Casa Caiada, onde prestaram depoimento e foram autuados. Os dois foram encaminhados a uma Unidade de Atendimento Inicial (Uniai) da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase).

                    Do G1-PE

                    Compartilhe essa notícia:

                      Incêndio destrói casas e barracos no bairro dos Coelhos

                      1000864_566988386696489_1729706912_nVárias casas e barracos da comunidade do Campinho, no bairro dos Coelhos, no Recife, foram destruídas por um incêndio na tarde desta segunda-feira (5). De acordo com o Corpo de Bombeiros, não há vítimas, mas alguns animais domésticos teriam morrido no incêndio. 

                      O fogo começou por volta das 15h. Os Bombeiros conseguiram controlar as chamas por volta das 17h e iniciaram a operação de rescaldo.

                      Na esperança de salvar seus pertences, várias pessoas passaram mal devido à inalação de fumaça. Outros moradores também entraram em desespero. “Perdi tudo. A minha casa foi uma das mais atingidas. Estava no trabalho quando a minha filha me avisou. Graças a Deus não tinha ninguém em casa”, disse a auxiliar de serviços gerais Neide Ferreira. Ela trabalha no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), que fica próximo ao local do incêndio.

                      O pintor Marcondes José dos Santos, 41 anos, conseguiu salvar um sofá e algumas panelas. “Morava  com a minha esposa e meus dois filhos, de 6 e 10 anos. Eles estavam no colégio e ela, assim como eu, no trabalho. Quando cheguei em casa, só deu tempo de salvar isso”, disse.

                      Já o pedreiro José Alberto de Morais, 32 anos, não conseguiu recuperar nada e perdeu o seu cachorro de estimação, que cuidava há 16 anos. “Ele estava sozinho em casa. É muito triste”, disse.

                      Do NE10

                      Compartilhe essa notícia:

                        Delegado diz que investidores que estavam no topo da Priples poderá responder inquérito

                        Além dos donos da Priples, os investidores que estavam entre o topo do esquema de pirâmide da empresa e que tenham induzido novos investidores sem advertir previamente dos riscos de entrar em negociatas como essas, poderão responder ao inquérito que tramita contra a empresa.

                        Os casos serão analisados minuciosamente quando a Justiça liberar a quebra de sigilo de dados da Priples, fornecendo os nomes, montante investido e os lucros de cada participante. O site da empresa deverá sair do ar ainda hoje (5).

                        Redação do Informe-PE

                        Compartilhe essa notícia:

                          Tiros e pânico na praia de Casa Caiada, em Olinda

                          Um adolescente de 16 anos disparou quatro tiros na praia de Casa Caiada, em Olinda. Foto: Roberto Ramos/DP/D.A Press

                          Um adolescente de 16 anos disparou quatro tiros na praia de Casa Caiada, em Olinda. 

                          No início da tarde deste domingo (4), um adolescente de 16 anos disparou quatro tiros na praia de Casa Caiada, em Olinda. De acordo com a Polícia Militar, a praia estava cheia e a população ficou revoltada com o caso. Após atirar, o adolescente foi espancado pelos banhistas.

                          Ainda segundo a PM, o jovem é suspeito de tentar matar um outro rapaz, com quem já tinha uma rixa. Ele teria encontrado o desafeto na praia e atirou, mas não conseguiu acertá-lo. O rapaz que foi vítima da tentativa de homicídio conseguiu fugir.

                          Quando o adolescente disparou os tiros, a população ficou revoltada. Ele foi detido e acabou espancado pelos próprios banhistas. Ele foi socorrido por policiais para a UPA de Tabajara, onde passa por procedimentos médicos sob custódia. Depois, será encaminhado para a Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA), no bairro de Santo Antônio. A arma utilizada no crime não foi encontrada.

                          Com informações do DP

                          Compartilhe essa notícia:

                            Priples deve ser notificada pela Justiça nesta segunda-feira

                            Henrique Maciel Carmo de Lima, diretor da Priplix foi preso na manhã do sábado. Foto TV ClubeReprodução

                            Henrique Maciel Carmo de Lima, diretor da Priplix foi preso na manhã do sábado. Foto TV ClubeReprodução

                            Depois da prisão preventiva do dono da empresa Priples, Henrique Maciel Carmo de Lima, e de sua esposa, Mirele Pacheco de Freitas, na manhã do último sábado (03), a Justiça deve decretar novas medidas para ajudar na investigação policial. De acordo com o delegado responsável pela investigação do caso, Carlos Couto, a empresa do casal, que é suspeito de crime contra a economia popular e formação de esquema de pirâmide financeira, deverá ser oficialmente notificada nesta segunda-feira (05).

                            Couto adianta que a Justiça vai comunicar a empresa em relação à paralisação das atividades. O endereço eletrônico da Priples (www.priples.com), que mesmo após a prisão do responsável legal continuava disponível na web, deve ser tirado do ar ou ter o domínio suspenso sob pena de pagamento de R$ 1 milhão por dia para o caso de descumprimento. Qualquer novo pagamento efetuado ou adesão de contrato também resultará em multa de R$ 50 mil diários.  “O processo corre em segredo de Justiça e estamos pleiteando mais um pedido, ainda sob análise judicial”, revelou Couto.

                            O delegado conta que a investigação policial deve ter acesso à movimentação financeira e aos dados da empresa para traçar um panorama do alcance do empreendimento com informações sobre o número de afiliados, estimado em 204 mil. O objetivo é identificar as pessoas que estão no topo da suposta pirâmide e que lucraram com os associados da base. Ainda segundo o delegado, a Justiça também deve decretar a indisponibilidade do patrimônio líquido da empresa e bloquear os bens dos sócios.

                            O advogado do casal, Fernando Lacerda Filho, informou que está analisando o caso a partir da documentação apresentada pela polícia e que solicitou cópias dos pareceres. Segundo ele, a defesa deve tentar revogar a prisão do casal por meio de habeas corpus sob a alegação de que são réus primários. “Eles nunca se negaram a colaborar com as investigações e estão à disposição da Justiça. A empresa pretende cumprir todas as determinações judiciais”. De acordo com ele, a Justiça já determinou a quebra do sigilo bancário e a indisponibilidade dos bens, mas não soube confirmar se a decisão já foi efetivada. 

                            A empresa pernambucana Priples promete remuneração de 2% ao dia durante um ano ao usuário que responder perguntas de conhecimentos gerais. Sendo assim, o lucro da empresa viria do cadastramento de pessoas, o que caracteriza a formação de pirâmide financeira. A polícia recebeu queixas contra a Priples sobre o não pagamento dos rendimentos no dia previsto. Há também denúncias dos usuários por não conseguirem localizar a sede física da empresa.

                            Com informações do DP

                            Compartilhe essa notícia:

                              Antes de seguir para o Cotel, dono da Priples se defende de acusações

                              Henrique disse que vai provar que é inocente

                              Henrique disse que vai provar que é inocente

                              Pouco antes de seguir para o Cotel, por volta das 16h deste sábado, Henrique Maciel, criador da empresa Priples, conversou com a imprensa, na Delegacia do Ipsep, para onde foi levado após ser preso ao lado da mulher, Mirele de Freitas, acusado de praticar pirâmide financeira. 

                              A entrevista foi orientada por três advogados, que definiram previamente as perguntas que poderiam ser feitas. Henrique negou a prática do esquema de pirâmide e disse que a empresa faz marketing multinível, com venda direta de produtos. Porém, não explicou a diferença entre os dois sistemas.

                              “Minha empresa é idônea, tenho como provar na Justiça”, declarou Henrique Maciel. Questionado como recebeu a ordem de prisão, respondeu que foi pego de surpresa, mas respeita a decisão e tentará reverter a situação.

                              Sobre a origem dos bens da Priples, informou que todos foram adquiridos com recursos da firma e estão registrados no nome da empresa. Os bens pessoais, garante, foram conquistados com recursos próprios. “Não é dinheiro de terceiros.”

                              Questionado sobre a situação dos 210 mil usuários do site, que investiram na Priples e na manhã de ontem foram surpreendidos com o bloqueio dos bens da empresa, Henrique Maciel disse que a Justiça vai responder.

                              A Priples, de acordo com investidores do site, vende pacotes de anúncios na internet.

                              Do JC Online

                              Compartilhe essa notícia:

                                Casal é preso no Recife acusado de esquema de pirâmide financeira

                                Henrique e Mirele foram presos no Recife (Foto: Vitor Tavares / G1)

                                Henrique e Mirele foram presos no Recife (Foto: Vitor Tavares / G1)

                                Foi preso no Recife, na manhã deste sábado (3), o casal de donos da empresa de publicidade digital Priples. Segundo a Polícia Civil, Henrique Maciel Carmo de Lima, de 26 anos, e a companheira dele, Mirele Pacheco de Freitas, de 22 anos, são suspeitos de praticar crimes contra a economia popular e contra a ordem econômica e relações de consumo. Ele é estudante de Ciências da Computação e ela, enfermeira, e tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça, suspeitos de acumular fortuna em apenas quatro meses, por meio da empresa que criaram e já tinha 203 mil pessoas atraídas pela promessa de ganhar dinheiro fácil. “Eles se diziam uma empresa de publicidade digital, mas atuavam no mercado financeiro, no esquema da pirâmide financeira, prometendo uma rentabilidade de 2% em cima do valor inicial investido pelo cliente, que podia ser de R$ 100 a R$ 10 mil por CPF”, disse o delegado Carlos Couto, responsável pelo caso.

                                Com o casal, foram apreendidos três carros importados, US$ 300 mil e um quadriciclo motorizado. Além disso, o patrimônio da empresa foi bloqueado, assim como as contas correntes da empresa e dos sócios e o dinheiro deve ser usado, posteriormente, para ressarcir vítimas. “Acreditamos que os valores bloqueados são insuficientes para garantir todos os pagamentos [às vítimas]”, explica o delegado Carlos Couto. A prisão ocorreu no apartamento do casal, na Avenida Antônio Falcão, no bairro da Imbiribeira, Zona Sul do Recife. Inicialmente eles foram levados para prestar depoimento na Delegacia do Ipsep e, no fim da tarde, Henrique foi levado para o Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, e Mirele, para a Colônia Penal Feminina, onde ficam à disposição da Justiça – o inquérito deve demorar dez dias para ser concluído.

                                “Eles criam uma desorganização dentro da economia. Aquelas pessoas buscam aquilo ali [a proposta da Priples] com o intuito de ganhar muito dinheiro, quando na verdade ele está lesando quem está  na base da pirâmide. Algumas pessoas ganham, mas nem todas”, explicou o delegado Guilherme Mesquita, da delegacia seccional de Boa Viagem, que participou da operação. Se sentindo prejudicado, o vigilante Victor Emanuel foi à delegacia acompanhar o caso. Ele investiu R$ 500 e não espera receber de volta o dinheiro. “Eu já soube que quem entra com menos de R$ 1.000, e não convida ninguém, não recebe nada. É o meu caso. Eu já entrei consciente de que poderia perder e não quis convidar ninguém para não prejudicar meus amigos”, afirmou, chateado.

                                Defesa
                                Segundo a polícia, a Priples, aberta no dia 1º de abril deste ano, estava atuando no mercado financeiro sem a autorização de órgãos como a Receita Federal e o Banco Central. “Antes ele tinha o registro como uma rede de locadoras. Fez uma alteração contratual desde o início de abril e foi mudando o segmento para atividades de venda de publicidade digital”, afirmou Couto. A empresa vinha sendo investigada desde junho segundo os advogados de defesa do casal, Fernando Lacerda Filho e André Gouveia, que se disseram surpresos com a prisão. “A Priples é uma empresa de marketing multinível, não é pirâmide financeira. Henrique já tinha prestado depoimento na delegacia, tinha apresentado documentos comprovando as atividades e estava sendo solícito com a polícia”, afirmou Fernando. Segundo ele, Mirele Pacheco de Freitas era sócia da Priples, mas não tinha poder de decisão estratégica. Ela mantém uma união estável com Henrique Maciel. Na segunda-feira (5), a defesa do casal pretende ir conversar com a juíza para tentar revogar a decisão. Caso não consiga, vai recorrer ao Tribunal de Justiça para entrar com um pedido de habeas corpus.


                                Após ouvir os dois, a polícia realizou seis mandados de busca, prisão e apreensão. “Fizemos buscas na casa deles e na empresa, que tem uma sede operacional em Piedade [em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife] e outra sede em Boa Viagem [Zona Sul do Recife]”, contou Couto. “A juíza já determinou a suspensão do registro do domínio do site bem como a retirada do ar, sob pena de multa. Há mandados de quebra de sigilo bancário e de dados”, contou o delegado Couto.

                                Do G1-PE

                                Compartilhe essa notícia:

                                  Ciclista morre atropelado na Avenida Presidente Kennedy, em Olinda

                                  Um acidente entre uma carreta e uma bicicleta vitimou o ciclista na manhã deste sábado (3), na Avenida Presidente Kennedy, no bairro da Vila Popular, em Olinda. 

                                  O ciclista, ainda não identificado, foi atingido quando pedalava nas proximidades do Centro da Moda. O Instituto de Medicina Legal já recolheu o corpo do local.

                                  O fluxo de veículo já foi normalizado.

                                  HISTÓRICO – Este não é o primeiro acidente com vítima fatal que acontece na Avenida Presidente Kennedy.

                                  A via é alvo de críticas da população, por conta da obra de requalificação feita pela Secretaria das Cidades do Estado, em parceria com a Prefeitura de Olinda.

                                  Por conta do trânsito caótico, já que as faixas exclusivas para ônibus não funcionam, os motoristas ficam sem saber por onde trafegar, causando inúmeros problemas.

                                  Do JC Online

                                  Compartilhe essa notícia:

                                    VÍDEO: Jovem é arrastada por PMs em protesto

                                    images-cms-image-000327531Durante o protesto ocorrido na noite desta quinta-feira 1º em São Paulo, uma jovem foi arrastada por policiais pelo asfalto da Avenida Paulista. Em um momento, ela grita: “Está machucando”. Segundo a Folha de S.Paulo, a garota era menor de idade. A manifestação, organizada pelo grupo Black Blocs e que pedia a saída dos governadores de São Paulo, Geraldo Alckmin, e do Rio, Sergio Cabral, além da apuração sobre o sumiço do morador da Rocinha Amarildo, terminou com 13 detenções. 

                                    Assista abaixo ao vídeo TV Estadão que mostra a jovem sendo arrastada por PMs:

                                    Compartilhe essa notícia:

                                      PMs armados começam a atuar dentro de 140 escolas públicas de Pernambuco

                                      A partir desta quinta-feira (1), as escolas da rede pública do Estado passarão a contar com rondas internas de policiais militares armados. Desde junho do ano passado, 83 escolas faziam parte do projeto Patrulha Escolar. Agora, houve uma ampliação aprovada pelas secretarias de Defesa Social e de Educação, beneficiando 140 instituições de ensino estaduais. A maior parte dos colégios selecionados está localizada em bairros violentos e com alto índice de tráfico de drogas. Trinta são do interior de Pernambuco.

                                      As novas escolas foram escolhidas por meio de critérios sociais e de vulnerabilidade. A ideia é diminuir atos infracionais dentro dos colégios, de maneira educativa, através do acompanhamento e observação da polícia. As coordenações e os pais de alunos ouvidos pela reportagem apoiam a iniciativa, pois se sentem mais seguros em relação ao combate ao consumo de drogas e à violência. Na escola estadual João Barbalho, na Boa Vista, Centro do Recife, os problemas diminuíram desde que a patrulha começou a atuar, em 2012. Com informações da TV Jornal.

                                      Compartilhe essa notícia:

                                        Prefeito de Itamaracá rebate denúncias de tentar matar o vice



                                        Depois de tomar conhecimento das acusações feitas pelo vice-prefeito F. Macedo (PPS), nessa quarta-feira (31), o prefeito de Itamaracá, Paulo Batista (PPB), foi à delegacia do município acompanhado de um advogado. O prefeito negou as acusações e disse que o atentado e as denúncias de improbidade administrativa estão sendo armadas por F. Macedo, que estaria tentando cassar o mandato dele para ficar com o cargo. “Ele é maquiavélico e quer minha cadeira”, declarou o prefeito.


                                        Macedo alegou que sofreu um atentado, na madrugada de quarta, quando estava em casa com a família. Ele conta que homens armados atiraram contra a residência. O vice acredita que a tentativa de homicídio foi por causa das denúncias que ele fez contra Paulo de enriquecimento ilícitos e fraudes em licitações.

                                        O político PTB se defendeu também de uma gravação telefônica de um irmão dele com F. Macedo. Nela, os dois conversam sobre o possível nepotismo e outras irregularidades na gestão. O prefeito de Itamaracá diz que não se dá bem com o irmão. O advogado de Paulo garantiu que irá provar a inocência dele e depois dará entrada em uma ação contra F. Macedo por calúnia.

                                        Com informações do Blog do Jamildo

                                        Compartilhe essa notícia:
                                          background