sábado, Fevereiro 24, 2018
Home > Pernambuco > BR-101 de Pernambuco é a mais perigosa do Brasil

BR-101 de Pernambuco é a mais perigosa do Brasil

A BR-101, no trecho que corta o perímetro urbano do Grande Recife, tem uma média de acidentes com morte quase cinco vezes maior do que a nacional e ocupa a primeira posição no ranking das rodovias mais violentas do Brasil. É o que mostra pesquisa do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e da Fundação Dom Cabral. As estatísticas revelam que, entre 2005 e 2009, o trecho entre os quilômetros 51 e 100 foi o mais perigoso do País, registrando 5,7 acidentes com morte a cada mil veículos que circulam por dia. A média nacional é de 1,2 acidente.

O cenário é confirmado pelo número de acidentes registrados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) nos dois últimos anos. Em 2010, foram 2.266 colisões, com 59 mortes. Este ano, de janeiro até o último dia 21, ocorreram 2.205 acidentes e 37 mortes. Três óbitos, em média, por mês.

Segundo o assessor de imprensa da PRF, Éder Rommel, o trecho entre os quilômetros 51 e 100 da BR-101 representa apenas 2% da malha rodoviária federal do Estado. Apesar de pequeno, é responsável por 30,8% dos acidentes.

Moradores de Abreu e Lima, no Grande Recife, município cortado por dois quilômetros da rodovia federal, sofrem por ter uma estrada passando no meio da cidade. Batizada por eles de “Avenida Matadora”, a Avenida Brasil registra atropelamentos com frequência. Não demora muito e alguém chega contando histórias sobre parentes ou conhecidos que já foram atropelados.

O descuido dos condutores é atestado pela PRF. Segundo Éder Rommel, os motoristas são responsáveis por 90% dos acidentes. Ultrapassagens malfeitas, falta de atenção, excesso de velocidade e manobras arriscadas são apontadas como os principais fatores para a alta taxa de acidentes. A má conservação das estradas ocupa uma posição inferior, com apenas 3%.

De acordo com o autor da pesquisa, professor Paulo Resende, devem ser realizadas melhorias nas rodovias. No levantamento ele observa que “os índices de acidentes crescem significativamente porque a sociedade ainda não está preparada para lidar com o trânsito e sua complexidade”.

Alternativa para reduzir a quantidade de acidentes no trecho, segundo Éder Rommel, é o projeto de criação do Arco Metropolitano, anunciado no último dia 22 pelo governo do Estado. O Arco vai sair da entrada de Itamaracá e passar por Itapissuma, Igarassu, Abreu e Lima, Paudalho, São Lourenço da Mata, Moreno, Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca, indo até o Porto de Suape.

“Seria uma via que começaria antes do quilômetro 51 e terminaria depois do quilômetro 100. Aí os motoristas, principalmente dos veículos pesados, que causam mais riscos nesse trecho, passariam por fora, aliviando o fluxo na área”, explicou.

Depois da BR-101 em Pernambuco, as rodovias mais perigosas são as BR-476, no Paraná, BR-116, no Rio Grande do Sul, BR-101, em Santa Catarina e a SP-280, em São Paulo.

Do NE10 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *