Após denúncia do Informe-PE, vacinas chegaram ao PSF de Pau Amarelo

Após matéria publicada aqui no Informe-PE, no último dia (14/09), que denunciava a falta de vacinas importantes nos anos iniciais das crianças, contra doenças graves das quais, entre elas a varicela e pneumonia, da Policlínica William Nascimento que estar em obras e durante esse período o atendimento foi transferido para o Centro de Fisioterapia, mais conhecido como Casarão, que fica na Rua Tchecoslováquia, nº 55, em Pau Amarelo.

A boa noticia é que fomos nesta segunda-feira (28) na unidade de saúde e haviam chegado às vacinas, porém faltavam seringas. Uma das funcionárias relatou que já havia sido feito o pedido de uma remessa de seringas a Secretaria de Saúde, e que estaria previsto para chegarem nesta terça-feira (29), iremos acompanhar essa total regularização para que os pais consigam imunizar os seus filhos, dentro do prazo estipulado pelos os cartões de vacinações dessas crianças, um direito delas e um dever nosso fiscalizar.

Todavia, visitamos também nesta tarde, o PSF Edgar Alves I, que fica na estrada da Manepá no bairro de Engenho Maranguape, no intuito de observar como estava por lá o quadro de vacinação. Para nossa surpresa encontramos com uma mãe, que havia levado o seu filho para tentar ser vacinado lá, pois já havia ido diversas vezes ao PSF do Casarão, e sempre encontrava uma plaquinha que avisava da falta dessas vacinas, a mãe estava bastante perplexa com o atendimento dos funcionários do Posto Edgar Alves I.

Roseane Mendes da Silva (28), disse que ao chegar pediu informação ao um senhor e ele mal olhou para ela e mandou a mesma ir à sala de vacinação, ela dirigiu-se e cumprimentou cordialmente as funcionarias, e as mesmas responderam grosseiramente, alegando que não iriam vacinar, pois naquele momento havia chegado medicação e que elas iriam realizar a contagem do material, a mãe perguntou quando poderia retornar e em qual horário, e a funcionaria disse: “Olhe, minha filha vacina é pela manhã chegue assim que abrir o posto”, e deu as costas. Roseane disse que se sentiu humilhada como se estivesse pedindo algum favor, pelo contrário, a funcionária foi contratada para exercer o papel de atender a população.

Deixamos então a sugestão para a Prefeitura e Secretária de Saúde do Município, que realizem capacitação dos profissionais de saúde da cidade, e que nestes cursos esteja incluso módulos de aprendizagem que estimulem o bom tratamento interpessoal, o bom traquejo social, a cordialidade e gentileza, o povo merece. Não é favor, é direito da população ser atendidos e bem atendidos.

Por Rafaela Martins do Informe-PE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *