Polícia Civil inaugura Central de Plantões na próxima quarta

Os flagrantes realizados pela Polícia Militar serão encaminhados, a partir desta quarta-feira (5), para a Central de Plantões da Capital, uma nova estrutura da Polícia Civil. O serviço funciona em caráter experimental há cerca de duas semanas. A Central está localizada no prédio do Instituto de Criminalística, na Avenida Agamenon Magalhães, no bairro de Santo Amaro, área central do Recife. A inauguração oficial do prédio será às 15h.

Trabalharão no local cinco equipes da Polícia Civil, com delegados, escrivães e agentes. A nova unidade reunirá todas as atividades de todas as delegacias de plantão do Recife e de Peixinhos, em Olinda. Serão registrados lá todos os casos de prisão em flagrante feitas pela PM. Os inquéritos instaurados a partir dessas prisões também serão investigados pelas equipes da Central.

Apesar de deslocar efetivo de outras unidades, o chefe da Polícia Civil, Osvaldo Morais, garante que a nova central não irá afetar o funcionamento nas delegacias dos bairros. “A ideia é desafogar as delegacias para atender melhor à população e às ocorrências das suas áreas”, afirmou. As equipes que atuarão na Central de Flagrantes vão trabalhar através do Programa de Jornada Extra, nas folgas, recebendo diárias por esses plantões.

A Central de Plantões foi criada para desafogar as delegacias dos bairros. “Durante o dia e à noite, não se tem a mesma quantidade de ocorrências sendo levadas para a mesma delegacia. Há momentos em que uma delegacia está com sobrecarga e outras sem ocorrência alguma. Então nós centralizamos todas as delegacias num ponto. À medida em que vão chegando, são distribuídas entre as cinco equipes. Isso também facilita o trabalho da PM, reduzindo o tempo de espera na delegacia, até que a ocorrência seja feita. E nós temos o policiamento de volta às ruas de uma forma mais rápida”, explicou o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho.

Ainda segundo o secretário, o período de teste da nova Central tem agilizado o atendimento. “Nós estudamos a necessidade de fazer uma Central como essa e vimos que era positivo. De fato, nesse período em que já está funcionando em fase de teste, nós estamos fazendo as ocorrências com uma velocidade muito maior”, completou Carvalho. Do JC.

Compartilhe essa notícia:



    background