Ibope: Dilma tem 53% e Aécio, 47% dos votos válidos

Aecio x Dilma

A um dia do segundo turno, pesquisa Ibope divulgada hoje (25) mostra a candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff, com 53% das intenções de votos, e Aécio Neves, do PSDB, com 47%, considerando os votos válidos (excluindo-se os brancos, nulos e indecisos). A pesquisa tem margem de erro de dois pontos.

No levantamento anterior, feito na última quinta-feira (23), Dilma tinha 54% e Aécio, 46% dos votos válidos.

Considerando os votos totais, Dilma tem 49% das intenções de voto e Aécio, 43%. Votos brancos e nulos somam 5%. Eleitores indecisos ou que não responderam somam 3%.

A pesquisa foi encomendada pelo jornal O Estado de S.Paulo e pela TV Globo. O Ibope ouviu 3.010 eleitores nos dias 24 e 25 de outubro em 206 municípios. O nível de confiança é 95%. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01195/2014.

Por Luana Lourenço – Repórter da Agência Brasil

Compartilhe essa notícia:

    Em São João Del Rei, Aécio visita túmulo do avô Tancredo e encerra campanha

    933983-aecio neves em são joão del rey - igo estrela13

    No último dia de campanha, o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, visitou hoje (25) túmulo de seu avô materno, o ex-presidente Tancredo Neves, na Igreja de São Francisco de Assis, em São João Del Rei. Antes, acompanhado da esposa e dos dois filhos bebês, o candidato concedeu entrevista à imprensa na casa onde Tancredo morou. Ele agradeceu o apoio de eleitores nos últimos meses e disse que já se sente um vitorioso pela caminhada que fez.

    “Encerro essa caminhada onde tudo começou para mim: em São João Del Rei, na casa do meu avô, e trazendo, depois de 30 anos, os mesmos valores com os quais comecei essa caminhada. A mesma fé cristã que sempre me acompanhou e a mesma confiança de que a política feita com dignidade, com responsabilidade, com amor ao próximo, é uma atividade extremamente digna e insubstituível”, disse.

    Aécio voltou a dizer que tem confiança na vitória. “Estamos prontos para vencer as eleições e dar ao Brasil um governo decente, um governo honrado, um governo generoso, um governo que não trate o adversário como um inimigo a ser abatido a qualquer custo.”

    O candidato disse que amanhã (26) aguardará o resultado com “muita serenidade” ao lado da família, em Belo Horizonte. Em relação às pesquisas eleitorais, que deram resultados bem diferentes, Aécio disse que os institutos “vão ter que se reciclar, vão ter que tentar compreender internamente o que aconteceu, porque os erros foram grosseiros em todo o primeiro turno, até para se qualificar um pouco mais para as outras eleições”.

    Aécio disse que não se desesperou quando as pesquisas o colocaram atrás de sua adversária nem se iludiu quando o colocaram à frente, mas se mostrou otimista. “O que eu chego é vivo, porque tenho uma pesquisa muito própria, que é o que eu estou vendo pelo Brasil. Eu não tenho um instituto, mas tenho a percepção, a sensibilidade para saber que estamos vencendo. Estamos crescendo em todas as regiões do Brasil. E acho que podemos vencer com uma margem surpreendente.”

    O candidato ressaltou que a morte de Eduardo Campos, que concorria à Presidência pelo PSB no primeiro turno, foi o pior momento da campanha. “Era óbvio que eu transferisse para mim também a possibilidade daquela tragédia”, disse, ao acrescentar que demorou um tempo para se recuperar e teve de ficar firme para mostrar a mesma determinação.

    Aécio também agradeceu o apoio de Marina Silva, a quem chamou de “amiga”, e Renata Campos, viúva de Eduardo, que declararam apoio ao tucano no segundo turno. Quanto ao ataque à sede da Editora Abril, que teve a faixada depredada na noite de ontem, o candidato os chamou de “atentado contra a democracia e a liberdade e expressão” e “que deve receber o repúdio de todos os brasileiros da forma mais veemente possível”. Após o compromisso político em São João Del Rei, Aécio seguiu para Belo Horizonte, onde votará amanhã por volta das 10h. Ele não tem mais compromissos políticos hoje.

    Por Danilo Macedo – Enviado Especial da Agência Brasil/EBC

    Compartilhe essa notícia:

      Em último ato de campanha, Dilma faz caminhada em Porto Alegre

      933986-dilma_porto alegre_5149

      Em seu último ato de campanha, a candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, participou no início da tarde de hoje (25) de caminhada com militantes pelo centro de Porto Alegre. Ela desfilou em carro aberto acompanhada do candidato à reeleição ao governo estadual, Tarso Genro.

      Em entrevista coletiva antes da caminhada, Dilma conclamou os brasileiros a compareceram às urnas amanhã (26). “Há uma característica democrática fundamental numa eleição, que é um homem, um voto, uma mulher, um voto. Isso significa que as pessoas, diante da eleição e diante da urna, têm o mesmo poder. Faço um apelo às pessoas mais simples, compareçam para votar. Você tem o mesmo poder igual ao resto da população brasileira. Do mais pobre ao mais rico, todos têm o mesmo poder.”

      Sobre a reportagem de capa da revista Veja com denúncias sobre o esquema de corrupção na Petrobras, investigado pela Polícia Federal (PF) na Operação Lava Jato, Dilma reafirmou que vai investigar as denúncias de corrupção. Segundo a matéria da Veja, em depoimento à PF como parte do processo de delação premiada, o doleiro Alberto Youssef teria dito que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidenta tinham conhecimento das irregularidades na Petrobras.

      “Eu quero aqui manifestar meu repúdio a esse tipo de processo, que é um processo golpístico. Quero dizer que eu tenho uma vida inteira que demonstra o meu repúdio à corrupção. Eu não compactuo com a corrupção, eu nunca compactuei. Quero que provem que eu compactuei com a corrupção e não esse tipo de situação em que se insinua e não tem prova. Nesse caso da Petrobras, ou qualquer outro, que tenha a ver com corrupção, eu vou investigar a fundo, doa a quem doer. Quero dizer que não vai ficar pedra sobre pedra.”

      Dilma acrescentou que os responsáveis “pelas injúrias e calúnias devem ser punidos”. “Não se pode tratar assim uma presidenta da República a três dias da eleição. Por que isso nunca apareceu antes? Que história é essa? A minha indignação é proporcional à injustiça que estão cometendo e ao uso político que estão fazendo disso”.

      Em relação ao fato de a sede da Editora Abril, em São Paulo, ter sido pichada, na noite de ontem, a candidata disse lamentar qualquer ato de vandalismo. “Repudio todas as formas de violência como resposta e discussão política. Isso é uma barbárie, não deve ocorrer, deve ser coibido.”

      Segundo a assessoria da candidata, Dilma não tem mais agenda de campanha hoje. Amanhã (26), ela toma café da manhã com aliados e correligionários antes de votar na Escola Estadual Santos Dumont, na zona sul da cidade.

      Por Ana Cristina Campos – Enviada Especial da Agência Brasil/EBC

      Compartilhe essa notícia:

        Abreu e Lima realiza desfile de nova frota de veículos adquiridos

        Abreu e Lima realiza desfile de nova frota de veículos adquiridos

        Um desfile pelas principais ruas e avenidas de Abreu e Lima marcou a apresentação dos novos veículos adquiridos pelo governo municipal de Abreu e Lima nos últimos meses. A nova frota que passa a atender á população abreulimense foi oriunda de verba adquirida junto ao Ministério da Saúde e pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos.

        Os veículos, 03 palios, 01 Spin, 01 caminhonete Amarok, 01 moto e um veículo do SAMU 4×4, ficarão à disposição da secretaria municipal de Saúde, com exceção do carro modelo Spin, que será destinado ao Conselho Tutelar da cidade. 

        Antes da saída dos novos carros, na praça São José, o prefeito da cidade, Marcos José, ressaltou a iniciativa do trabalho conjunto em benefício da população abreulimense. O chefe do executivo disse ainda, que embora grande parte dos veículos sejam destinadas à secretaria de Saúde, todo o município será contemplado nestes próximos meses, com grandes obras e serviços que garantirão uma melhor qualidade de vida ao morador de Abreu e Lima. “Vamos mostrar a todo o povo de Abreu e Lima para que viemos, isso só é possível com muito trabalho. Se depender de mim, e da minha equipe não paramos.”, disse.

        Os carros modelo Palio serão utilizados nas Unidades Básicas de Saúde, bem como a Pick Up com tração 4X4, destinada à área rural do município. As ambulâncias darão maior suporte na remoção de pacientes para os hospitais. A moto modelo Titan125, ficará à disposição para ações rápidas dentro do próprio município e caminhonete Amarok, ficará disponível para ações do programa de Hanseníase e Tuberculose.

        Compartilhe essa notícia:

          Motociclista é atingido no pescoço por linha com cerol em Olinda

          Um motociclista foi atingido por uma linha de pipa com cerol na Avenida Perimetral, em Aguazinha, Olinda, na tarde desta sexta-feira (24). O acidente aconteceu em frente ao aterro sanitário.

          O homem, de 47 anos, sofreu um corte no pescoço. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado à UPA de Olinda. O homem estava consciente e orientado.

          O cerol é uma mistura de cola e vidro moído, aplicado nas linhas das pipas para cortar outros brinquedos do tipo.

          Do JC

          Compartilhe essa notícia:

            FHC e namorada pedem eleição com mais amor

            Ex-presidente cola um adesivo de campanha na namorada, por quem é chamado de ‘amore’

            Em vídeo enviado por Whatsapp, serviço de mensagem por celular, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso fala em amor e pede voto a Aécio Neves (PSDB). O tucano gravou ao lado da namorada, Patricia Kundrat, que também pediu “mais amor” na eleição.

            Quem começa o vídeo é Patricia. “Gente, essa eleição tá com muita falcatrua, muita mentira e discurso de ódio. Essa eleição tem que ser feita, tratada, com amor”, declarou Patricia, que então olha para o ex-presidente, sentado ao seu lado no sofá, mas que ainda não havia aparecido no vídeo: “Não é, Fernando, meu amore?”.

            Eis que surge o ex-presidente. Sério, ele diz: “É, sim. Eu sempre fiz política acreditando nas coisas, com esperança, com amor. Nunca xinguei, usei argumentos. Mas nós temos agora, nesta eleição, um candidato que também olha o Brasil, olha o futuro, tem alegria, tem esperança, é o nosso candidato. Nós vamos votar nele, no Aécio Neves, no 45″. O tucano pega um adesivo com o número 45 e cola na blusa da namorada.

            Confira o vídeo:


            Com informações do Blog Julia Duailibi

            Compartilhe essa notícia:

              Eleitor gastará em média 42 segundos para votar na urna biométrica

              urna biométrica

              O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou ontem (24) a estimativa de tempo que o eleitor deve levar para votar na urna eletrônica, no domingo (26), segundo turno das eleições. Segundo o TSE, nos estados onde a disputa para governador foi definida no primeiro turno, o eleitor precisará, em média, de 18 segundos para concluir a votação na urna comum. Nas urnas biométricas, o tempo de votação previsto é 42 segundos. Neste caso, o eleitor vai escolher somente o presidente da República.

              A previsão do tempo de votação em 13 estados e no Distrito Federal, locais onde haverá o segundo turno, o eleitor deve gastar 29 segundos na urna comum e 53 segundos na urna biométrica para votar no candidato a governador e a presidente.

              A estimativa leva em conta desde o momento em que o eleitor se apresenta ao mesário e vai à cabine de votação até o último voto na urna eletrônica. No primeiro turno, o tempo de votação foi 61 segundos na urna comum e 85 segundos, na urna biométrica. Foram eleitos deputados federais e estaduais, senadores e 13 governadores.

              Por André Richter – Repórter da Agência Brasil

              Compartilhe essa notícia:

                Aécio defende apuração sobre denúncia de que Lula e Dilma sabiam de desvios

                aecio neves

                O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, defendeu ontem (24) a apuração das denúncias sobre o esquema de corrupção na Petrobras publicadas nessa quinta-feira (23), na edição online da revista Veja. Segundo a reportagem, em depoimento à Polícia Federal (PF) como parte do processo de delação premiada, o doleiro Alberto Youssef teria dito que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidenta Dilma Rousseff tinham conhecimento das irregularidades investigadas pela PF na Operação Lava Jato.

                Youssef foi preso na operação, que descobriu esquema de lavagem de dinheiro e desvio de recursos públicos que pode ter movimentado cerca de R$ 10 bilhões. O doleiro é acusado de lavagem de dinheiro e de receber propina de empreiteiras que têm contratos com a Petrobras e de repassá-la a partidos políticos. Ele aceitou firmar, com o Ministério Público Federal (MPF), acordo de delação premiada em troca de redução da pena, no caso de ser condenado.

                “É algo extremamente grave. Nós já havíamos denunciado há muito tempo esses supostos desvios na Petrobras e agora tudo isso culmina com essa informação prestada pelo senhor Youssef. Eu determinei que hoje o PSDB ingressasse na Procuradoria-Geral da República, solicitando que essas investigações sejam aprofundadas em razão de sua gravidade”, disse Aécio Neves, em pronunciamento no hotel onde gravava o programa eleitoral. “Se comprovado isso, é a confirmação de que houve operação de caixa 2 na atual campanha presidencial do PT. É algo extremamente grave, que precisa ser confirmado, mas também apurado”, completou o candidato.

                O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou hoje pedido de retirada da reportagem publicada na página do Facebook da revista. O pedido foi feito pela coligação Com a Força do Povo, que apoia a candidatura de Dilma à reeleição. Na representação, a coligação de Dilma acusa Veja de ter antecipado a edição para “tentar afetar a lisura do pleito eleitoral”.

                Por Vladimir Platonow – Repórter da Agência Brasil

                Compartilhe essa notícia:

                  Ex-diretor da Petrobras diz ter pago R$ 20 milhões a Eduardo Campos

                  FBC(2)O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa afirmou que intermediou o pagamento de 20 milhões de reais para o caixa 2 da campanha do então candidato à reeleição ao governo de Pernambuco, Eduardo Campos, em 2010. A declaração foi dada em depoimento da delação premiada da Operação Lava-Jato e foi realizado entre agosto e setembro, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo.

                  Campos foi reeleito ao governo com 80% dos votos. O pagamento da quantia milionária foi feito, segundo o jornal, pelo doleiro Alberto Youssef e com a intermediação de Fernando Bezerra, na época no cargo de secretário de Desenvolvimento do governo do Estado e presidente do Porto de Suape (entre 2007 e 2010), onde foi construída a refinaria. Bezerra foi eleito senador em Pernambuco pelo PSB, mesmo partido de Campos. Em 2011 ele passou a integrar o governo de Dilma Rousseff (PT) como ministro da Integração Nacional, cargo que ocupou até outubro de 2013.

                  O Estado de S. Paulo ainda informa que Bezerra chamou de “levianas e mentirosas” as declarações do ex-diretor da Petrobras. Segundo ele, essa é uma tentativa de manchar a história do ex-governador e candidato à Presidência Eduardo Campos, morto em agosto em um acidente aéreo na cidade de Santos.

                  “Na campanha à reeleição de Eduardo Campos, em 2010, Fernando Bezerra Coelho não teve papel de coordenador nem de tesoureiro. Portanto, nunca tratou de doações à campanha com quem quer que seja”, informou em nota a assessoria de Bezerra. “A apuração dos fatos pela Polícia Federal e pelo Ministério Público, com absoluta certeza, mostrará que as declarações são caluniosas e que elas têm cunho puramente político.”

                  Com informações do Site Carta Capital

                  Compartilhe essa notícia:

                    Terroristas da Abril tentam justificar crime

                    Ridicularizada no Brasil e no mundo com a hashtag #DesesperodaVeja, que foi o assunto mais comentado no Twitter em todo o planeta nesta sexta-feira (leia aqui), a publicação da Editora Abril cometeu um crime eleitoral ao soltar uma denúncia sem provas contra a presidente Dilma Rousseff (leia aqui), e será responsabilizada judicialmente em todas as esferas.

                    Tanto pela presidente Dilma Rousseff (leia aqui), quanto pela direção do Partido dos Trabalhadores (leia aqui). Veja tentou produzir uma “bala de prata”, mas, de sua espingarda, saiu apenas um tiro de espoleta, que não mereceu nem sequer uma citação no Jornal Nacional.

                    Emparedados, os terroristas da Editora Abril – sim, eles cometeram um atentado terrorista contra a democracia brasileira – divulgaram uma nota para tentar justificar o crime eleitoral cometido.

                    A nota não é assinada. Não se sabe se é da lavra do dono Giancarlo Civita, do executivo Fábio Barbosa ou do editor Eurípedes Alcântara. Caberá a justiça identificar os responsáveis pelo crime eleitoral.

                    Abaixo, a nota de Veja:

                    A resposta oficial de VEJA às agressões da candidata-presidente Dilma

                    Sobre a fala da presidente no horário eleitoral

                    A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, ocupou parte de seu horário eleitoral para criticar VEJA, em especial a reportagem de capa desta semana. Em respeito aos nossos leitores, VEJA considera essencial fazer as seguintes correções e considerações:

                    1) Antecipar a publicação da revista às vésperas de eleições presidenciais não é exceção. Em quatro das últimas cinco eleições presidenciais, VEJA circulou antecipadamente, no primeiro turno ou no segundo.

                    2) Os fatos narrados na reportagem de capa desta semana ocorreram na terça-feira. Nossa apuração sobre eles começou na própria terça-feira, mas só atingiu o grau de certeza e a clareza necessária para publicação na tarde de quinta-feira passada.

                    3) A presidente centrou suas críticas no mensageiro, quando, na verdade, o cerne do problema foi produzido pelos fatos degradantes ocorridos na Petrobras nesse governo e no de seu antecessor.

                    4) Os fatos são teimosos e não escolhem a hora de acontecer. Eles seriam os mesmos se VEJA os tivesse publicado antes ou depois das eleições.

                    5) Parece evidente que o corolário de ver nos fatos narrados por VEJA um efeito eleitoral por terem vindo a público antes das eleições é reconhecer que temeridade mesmo seria tê-los escondido até o fechamento das urnas.

                    6) VEJA reconhece que a presidente Dilma é, como ela disse, “uma defensora intransigente da liberdade de imprensa” e espera que essa sua qualidade de estadista não seja abalada quando aquela liberdade permite a revelação de fatos que lhe possam ser pessoal ou eleitoralmente prejudiciais.

                    Abaixo, a resposta de Dilma:

                    Com informações do Site 247

                    Compartilhe essa notícia:

                      CHARGE: Reta final…

                      Essa charge e muitas outras imagens de Humor você encontra no Blog do Bocão, O melhor Blog de Humor do Nordeste! www.blogdobocao.com

                      Compartilhe essa notícia:

                        Dilma: “darei minha resposta à Veja na justiça”

                        A resposta da presidente Dilma Rousseff à edição antecipada da revista Veja, às vésperas do segundo turno das eleições, veio rápida. No último dia de propaganda eleitora, a candidata à reeleição pelo PT respondeu à denúncia “sem provas” veiculada pela revista de que ela e o ex-presidente Lula tinham conhecimento prévio do esquema de corrupção que está sendo investigado na Petrobras dizendo que responderá por essa “barbaridade” na Justiça. “Dessa vez, ela não ficará impune”.

                        “Eu gostaria de encerrar a minha campanha na TV de outra forma, mas não posso me calar frente a esse ato de terrorismo eleitoral articulado pela revista Veja e seus parceiros ocultos, uma atitude que envergonha a imprensa e agride a nossa tradição democrática”, começou Dilma. “Sem apresentar nenhuma prova concreta e mais uma vez baseando-se em supostas declarações de pessoas do submundo do crime, a revista tenta envolver diretamente a mim e ao presidente Lula nos episódios da Petrobras que estão sob investigação da Justiça”, prosseguiu.

                        “Todos os eleitores sabem da campanha sistemática que essa revista move há anos contra Lula e contra mim, mas dessa vez a Veja excedeu todos os limites”, defendeu-se a presidente. Ela lembrou de outras edições em que a revista insinuava que ela “poderia ter sido omissa na apuração dos fatos”. “Isso já era um absurdo, isso já era uma tremenda injustiça. Hoje, a revista excedeu todos os limites da decência e da falta de ética, pois insinua que eu teria conhecimento prévio dos malfeitos na Petrobras e que o presidente Lula seria um dos seus articuladores”, atacou.

                        “A revista comete esta barbaridade, esta infâmia contra mim e Lula sem apresentar a mínima prova, isso é um absurdo, isso é um crime. É mais do que clara a intenção malévola da Veja de interferir de forma desonesta e desleal nos resultados das eleições, a começar pela antecipação da sua edição semanal para hoje, sexta-feira, quando normalmente chega às bancas no domingo”, apontou Dilma. “Como das outras vezes, a Veja vai fracassar no seu intento criminoso, mas dessa vez, ela não ficará impune. A Justiça livre deste País seguramente vai condená-la por este crime. O povo brasileiro tem maturidade suficiente para discernir entre a mentira e a verdade”, anunciou.

                        Ela disse ainda que “a consciência livre da Nação não pode aceitar que mais uma vez se divulguem falsas denúncias no meio de um processo eleitoral em que o que está em jogo é o futuro do Brasil” e que “o povo vai responder a Veja e seus cúmplices nas urnas”. E completou: “Eu darei a minha resposta a eles na Justiça”.  A atriz que fala na propaganda após o discurso de Dilma afirma que “a cartada desesperada da Veja está na cara”, antes de anunciar as pesquisas com Dilma na liderança da corrida presidencial.

                        Assista abaixo:

                        Compartilhe essa notícia:

                          Advogado de Doleiro: Veja mentiu sobre Dilma

                          A tentativa de golpe da Editora Abril contra a democracia brasileira não durou um dia. Menos depois de 24 horas após circular com uma edição extra, acusando a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula de “saberem de tudo” sobre o esquema denunciado na Petrobras, o “depoimento” do doleiro Alberto Youssef foi desmentido por ninguém menos que seu próprio advogado, o criminalista Antonio Figueiredo Basto.

                          “Eu nunca ouvi nada que confirmasse isso (que Lula e Dilma sabiam do esquema de corrupção na Petrobras). Não conheço esse depoimento, não conheço o teor dele. Estou surpreso”, afirmou Basto. “Conversei com todos da minha equipe e nenhum fala isso. Estamos perplexos e desconhecemos o que está acontecendo. É preciso ter cuidado porque está havendo muita especulação”, alertou o advogado.

                          A edição de Veja foi antecipada para esta quinta-feira para tentar interferir na sucessão presidencial, sobrepondo-se à soberania popular. Ontem, pesquisas Ibope e Datafolha confirmaram a liderança da presidente Dilma Roussef nas pesquisas eleitorais (leia aqui).

                          Os responsáveis diretos pelo atentado à democracia cometido pela Editora Abril são o diretor de Redação de Veja, Eurípedes Alcântara, o executivo Fábio Barbosa, que conduz a gestão da empresa, além dos acionistas da família Civita. Conduziram o jornalismo brasileiro a seu momento mais irresponsável, mais vil e mais torpe.

                          Do Portal 247

                          Compartilhe essa notícia:

                            Pesquisa do Sensus para a “IstoÉ” dá vitória a Aécio Neves

                            Após votar, Aécio se diz pronto para governarUma nova pesquisa do instituto mineiro Sensus, encomendada pela revista “IstoÉ” e divulgada nesta sexta-feira (24), aponta o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, com 9 pontos percentuais à frente da presidente Dilma Rousseff (PT).

                            De acordo com a pesquisa, o tucano tem 54,6% das intenções de votos válidos, ante 45,4% da petista.

                            A pesquisa revela também que 11,9% dos eleitores estão indecisos e que se forem considerados os votos totais, Aécio tem 48,1% e Dilma, 40%.

                            O instituto Sensus avaliou também o índice de rejeição dos dois candidatos. Segundo ele, 44,2% dos eleitores rejeitam Dilma, ao passo que 33,7% rejeitam Aécio.

                            O Sensus entrevistou 2 mil eleitores de 136 municípios em 24 Estados entre os dias 21 e 24 de outubro. A pesquisa tem margem de erro de 2,2 pontos porcentuais, para mais ou para menos.

                            Do Blog de Inaldo Sampaio

                            Compartilhe essa notícia:

                              Prefeitura do Paulista antecipa salário de outubro

                              Os 5.400 funcionários da Prefeitura do Paulista vão comemorar o Dia do Servidor, que transcorre nesta terça-feira (28.10), com dinheiro no bolso. As secretarias de Administração e de Finanças antecipam para esta segunda-feira (27), a partir das 16h, a liberação do salário referente ao mês de outubro.

                              Os vencimentos estavam previstos para serem pagos somente no próximo dia três de novembro. Desde o início da atual gestão, em 2013, o prefeito Junior Matuto vem conseguindo liberar todos os soldos de forma antecipada.

                              Compartilhe essa notícia:

                                Debate sobre eleições nas redes sociais abala amizades

                                O intenso uso das redes sociais para expressar apoio político nestas eleições e o acirramento das tensões devido à proximidade do segundo turno, marcado para o próximo domingo (26), têm afetado amizades e relações familiares. Uma usuária do Twitter resumiu a situação em umpost que lhe rendeu mais de 17 mil curtidas: “Gente, quem perdeu família ou amigos por causa dessa eleição vamos combinar de passar o Natal juntos”.

                                Pesquisa Datafolha divulgada na última quarta-feira (22) mostrou aumento no índice de pessoas que disseram ter interesse nas eleições. Dos 4.355 entrevistados, 50% responderam que têm interesse no pleito. No fim de agosto, essa porcentagem era 39%. Esse crescimento também influencia no aumento da circulação de vídeos, textos e até mesmo ofensas nas redes sociais.

                                A gerente de comunicação digital Glaucimara Silva deixou de seguir e de visualizar publicações de várias amigos no Facebook. Em casos mais graves, em que houve preconceito ou discurso de ódio, ela desfez a amizade na rede social. “As pessoas se revelam muito nesse momento”, diz. Ela acredita que, por estarem protegidas por um computador, “as pessoas se sentem mais à vontade para falar coisas que não falariam cara a cara”.

                                Apesar de a maior parte das amizades desfeitas serem de amigos apenas de Facebook, Glaucimara chegou a se afastar de uma amizade na vida real. “Um amigo muito próximo parou totalmente de conversar comigo porque considerou que temos uma visão política muito diferente e por isso não temos mais nada em comum”, conta.

                                A assessora de imprensa Juliana Carvalho decidiu encerrar as contas nas redes sociais até o fim das eleições. “Estava virando um ringue para mim, eu via as pessoas extremamente irritadas e xingando umas às outras.”

                                Para o sociólogo e pesquisador da Universidade de Brasília (UnB) Marcello Barra, a proporção a que chegaram as discussão nas redes sociais nestas eleições é algo inédito. “No grau que assume é realmente uma coisa que aparentemente é inedita e tem correlação imediata com a disputa [eleitoral], uma disputa muito acirrada.”

                                Ele explica que as redes apresentam um grau de politização muito mais avançado diante de outros meios de comunicação, como a televisão ou o rádio. “Permitem não só a expressão de vários assuntos que vão além da política, como a política é tratada muito intensamente, discutida numa base diária. Isso é muito relevante para a democracia”, destaca.

                                O mestre em direito pela UnB e ciberativista Paulo Rená também considera a discussão nas redes positiva, mas alerta para o discurso de ódio e para os crimes cometidos pelos usuários que, muitas vezes, saem ilesos a comentários racistas ou de preconceito regional.

                                “Acho importante que as pessoas entendam que não é porque estão na internet que o discurso de ódio está liberado. E isso não é nenhuma restrição à liberdade de expressão”, diz. “Aquelas condutas inadequadas e eventualmente criminosas que eram feitas em ambientes privados, que eram feitas dentro de casa, agora passam a ocorrer também em ambientes públicos. Não tem nenhuma restrição para que esse comportamento inadequado seja punido aconteça ele na internet ou em qualquer lugar.”

                                Rená orienta aqueles que se sentirem agredidos a, dependendo do nível da ofensa, procurarem uma delegacia de polícia e registrarem boletim de ocorrência ou recorrerem à Justiça. O Ministério Público também pode atuar no combate a discursos preconceituosos a determinados grupos.

                                Por Mariana Tokarnia, Repórter da Agência Brasil

                                Compartilhe essa notícia:

                                  Dilma destaca criação de empregos e defende debate

                                  dilma rousseff

                                  A candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff destacou o crescimento do nível de empregos nos últimos 12 anos no país e disse que esta é uma prioridade de seu governo, como foi no governo Lula.

                                  “Saiu hoje a Pesquisa Metropolitana do Emprego, do IBGE [Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística], que aponta aumento o emprego. O desemprego foi reduzido para 4,9% – é o menor da série histórica para setembro”, disse a candidata. Ela acrescentou que o Brasil é o pais com a menor taxa de desemprego, “o que é muito importante, porque não é isso que ocorre no mundo”.

                                  De acordo com Dilma, o Brasil é um dos países com menor taxa de desemprego do mundo, com acumulado nos últimos quatro anos de 5,78 milhões de postos de trabalho criados e aumento de 1,5% no rendimento médio real do trabalho, conforme dados da Pesquisa Metropolitana do Emprego.

                                  “O aumento do salário e a redução do desemprego são as duas principais conquistas do meu governo e do [governo do] presidente Lula. Nesse período [2003-2014], enquanto o mundo desempregou 60 milhões de trabalhadores, criamos 20 milhões de postos de trabalho. Na crise, fala-se da perda de 100 milhões de postos de trabalho; nesse período, criamos 12 milhões de postos”, disse a candidata.

                                  Segundo Dilma, os direitos trabalhistas também foram ampliados no período, com iniciativas como a PEC (proposta de emenda à Constituição) das Domésticas, a que garantiu a herança para famílias de taxistas e a que garante o pagamento do adicional de periculosidade para mototaxistas e motofrentistas e o aumento do aviso prévio de 30 para 90 dias.

                                  Sobre os ânimos acirrados entre os militantes do PT e do PSDB na reta final da campanha eleitoral, Dilma pediu tranquilidade e que o debate seja feito apenas no campo das ideias. “É uma eleição bastante disputada. Gostaria que isso [confronto] não ocorresse. No final, o clima fica mais quente, mas, desde que fique no campo das ideias, isso é democracia”, enfatizou a candidata, que disse não ter visto, nas manifestações de que participou atitudes de agressão. “Eu vi muito mais uma atitude de festa, de comemoração.”

                                  Sobre denúncias de que beneficiários do Bolsa Família receberam mensagens de celular informando que, caso seu adversário Aécio Neves, do PSDB, vença as eleições, o benefício seria cortado, Dilma disse que não sabia. Ela afirmou, porém, que se isso tiver sido feito por alguém de dentro do governo, o responsável será identificado.

                                  “Estamos em um momento pré-eleitoral, em uma situação extremamente conflituada”, acrescentou Dilma, dizendo que tem escutado coisas “estarrecedoras” sobre ela e pessoas de sua família. “Então, vamos ver direitinho de onde vem [o boato], quem fez e como é que fez, porque boato é o que não está faltando por aí”, concluiu.

                                  Nesta quinta-feira, a candidata também publicou uma carta aberta aos povos indígenas, em que reafirma compromissos com a melhoria de qualidade da educação e saúde indígena e com o fortalecimento da Fundação Nacional do Índio.

                                  O documento foi divulgado no site de campanha de Dilma, que diz não ter dúvidas sobre a inconstitucionalidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 215, que transfere para o Legislativo a prerrogativa de homologação de terras indígenas.

                                  “Nada em nossa Constituição será alterado com relação aos direitos dos povos indígenas”, escreveu a presidenta, mencionando o fato de ter recebido lideranças indígenas em 2013, após as manifestações que levaram milhares de pessoas às ruas de todo país. A candidata ainda pede o apoio da população para enfrentar desafios e garantir o “bem viver para todos os povos indígenas no Brasil”.

                                  Por Akemi Nitahara, Repórter da Agência Brasil

                                  Compartilhe essa notícia:

                                    Aécio minimiza pesquisas, critica nível da campanha e diz que vai ganhar

                                    Aécio Neves

                                    O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, desconsiderou o resultado das pesquisas eleitorais, que o apontam atrás da petista Dilma Rousseff, que disputa a reeleição, criticou o nível da campanha e garantiu que será vencedor no próximo domingo (26).

                                    Aécio falou à imprensa na tarde de ontem (23) no comitê de campanha do Rio.

                                    Sobre as pesquisas, o candidato lembrou que o que se viu no primeiro turno foi uma distância muito grande entre a vontade do eleitor e o que as pesquisas manifestavam.

                                    “Eu vejo as pesquisas como um estímulo aos nossos companheiros e companheiras que querem mudar. Fiquem alertas e atentos porque temos todas as chances de ganhar. Mas eu não paro para avaliar pesquisas. Quero reafirmar que, assim como eu cheguei no segundo turno, no domingo que vem, vamos vencer as eleições e escrever uma nova página na história do Brasil”, disse Aécio, que estava ao lado da filha Gabriela.

                                    Aécio mostrou-se inconformado com o nível político da campanha. “No futuro, essa campanha será tida como a de mais baixo nível de todas as que tivemos desde a redemocratização. A campanha conduzida por nossos adversários é a mais sórdida e mentirosa de todas. Hoje mesmo estão sendo presas pessoas com boletins falsos, com infâmias, com acusações levianas em relação a mim, à minha família.”

                                    De acordo com o candidato, hoje mesmo surgiram denúncias sobre mensagens detelemarketing assustando e aterrorizando pessoas beneficiadas pelo Programa Bolsa Família. “Quem age de forma tão sórdida como essa, não está preparado para a democracia e teme o resultado das eleições”, afirmou Aécio.

                                    Ele anunciou que, se for eleito, estenderá o horário das creches e pré-escolas públicas até as 20h e ampliará o tempo da licença-maternidade para mães que tiveram filhos com problemas, que precisem ficar mais tempo internados. Pela proposta, o tempo da licença só começará a ser contado quando o bebê deixar a maternidade.

                                    O candidato do PSDB permanece no Rio gravando programas eleitorais. Amanhã (24), ele participa do último debate da campanha, à noite, na Rede Globo.

                                    Por Vladimir Platonow – Repórter da Agência Brasil

                                    Compartilhe essa notícia:

                                      Anatel cobra transparência de operadoras para mudar cobrança da internet móvel

                                      A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) convocou as operadoras de telefonia celular para pedir explicações sobre mudanças na forma de cobrança da internet móvel. Segundo o presidente da agência, João Rezende, a prestação de informações ao usuário, antes da alteração, deve ser prioridade. “Temos de observar o regulamento de defesa do consumidor e olhar claramente a questão da transparência. Todas as empresas deverão ter um sistema para avisar o usuário”, disse.

                                      A operadora de telefonia Vivo já anunciou que mudará, a partir de novembro, a forma de cobrança da internet pelo celular para clientes de pacotes pré-pagos. Quando o pacote de dados contratado pelo cliente acabar, ele terá de pagar um adicional para continuar navegando. Atualmente, quando a franquia chega ao fim, a velocidade de navegação é reduzida, mas o usuário não tem custo excedente. A partir de 6 de novembro, a mudança vale inicialmente para clientes do Rio Grande do Sul e de Minas Gerais, mas, nos próximos meses, poderá ser estendida para outras regiões.

                                      Conforme a Anatel, as regras do setor permitem às empresas adotar várias modalidades de franquias e de cobranças. Entretanto, o Regulamento Geral de Direitos do Consumidor de Serviços de Telecomunicações determina que qualquer alteração em planos de serviços e ofertas deve ser comunicada pela prestadora ao usuário, com antecedência mínima de 30 dias.

                                      Diretor da Anatel, Rodrigo Zerbone revelou que a Vivo já informou a agência sobre a mudança. “O que exigimos é que o cliente seja informado, mesmo que a alteração já esteja prevista no contrato”, salientou. Explicou que, caso a empresa não avise no prazo previsto, poderá ser multada.

                                      Por enquanto, a mudança não vale para clientes da Claro, TIM e Oi. Para a TIM, mudanças no formato de tarifação de dados móveis são um movimento natural, mas a operadora informou que não prevê qualquer ajuste na cobrança, mas segue avaliando as diferentes possibilidades.

                                      A Oi considera o fim da velocidade reduzida, aliada ao novo modelo de cobrança por pacotes adicionais, uma tendência mundial. A operadora avalia com atenção a estratégia. A Claro não informou se mudará, mas garantiu que seus clientes, após o encerramento da franquia, podem escolher entre contratar pacotes adicionais ou navegar com velocidade reduzida.

                                      Por Sabrina Craide – Repórter da Agência Brasil

                                      Compartilhe essa notícia:

                                        Veja diz que Lula e Dilma sabiam de desvios na Petrobras

                                        Três dias antes do segundo turno das eleições, a revista Veja decidiu antecipar a sua edição, que sairia nesta sexta-feira (24), e trouxe, em sua capa, uma chamada para as páginas internas, às quais, afirma a revista, contêm detalhes do depoimento do doleiro Alberto Youssef, que busca a aprovação da delação premiada.

                                        Com a manchete “Eles sabiam de tudo”, a primeira página da publicação tem a foto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma.

                                        Na chamada, afirma que o doleiro, classificado como “caixa do esquema de corrupção na Petrobras”, revelou à Polícia Federal e ao Ministério Público, na última terça-feira (21), que “Lula e Dilma Rousseff tinham conhecimento das tenebrosas transações da estatal”.

                                        Do Blog da Folha

                                        Compartilhe essa notícia:
                                          background