Câmara vai manter material nas ruas

Paulo CâmaraCom a estratégia de distribuir materiais de campanha nas ruas para se tornar mais conhecido, o candidato a governador Paulo Câmara (PSB) afirmou que sua coligação não reduzirá a quantidade de propaganda eleitoral colocada nas ruas. De acordo com o socialista, sua coligação continuará agindo dentro do que a legislação eleitoral permite.

“Vou continuar fazendo minha campanha e vou ter todo o cuidado para não trazer nenhum tipo de prejuízo e contratempo para a população. Mas nós, tanto eu como (o candidato ao Senado) Fernando (Bezerra Coelho, PSB), temos o direito de fazer nossa campanha como a lei exige”, reagiu Câmara, após plenária sobre políticas voltadas às mulheres, na Boa Vista, ontem.

O candidato ao Governo do Estado pela coligação Pernambuco Vai Mais Longe, Armando Monteiro Neto (PTB), anunciou a retirada dos instrumentos de campanha das ruas e uso disciplinado de carros de som com restrições de horários.

“Eu estou aberto a qualquer tipo de proposta. Vamos analisar. Agora, por enquanto, vamos continuar fazendo a nossa campanha, que é um direito que nos assiste”, avisou. Nas suas últimas agendas, Paulo Câmara chegou a acusar os adversários de tentarem impedir o início da campanha por medo de serem ultrapassados nas pesquisas eleitorais.

Por Carol Brito Folha de Pernambuco

Compartilhe essa notícia:

    PTB ameaça Armando por apoio a Dilma

    A única campanha do PTB para um governo estadual, a do senador Armando Monteiro Neto, que disputa o Governo de Pernambuco, “pode ter problemas” em função do PT estar no palanque da chapa trabalhista. A ameaça partiu do presidente nacional do PTB, Benito Gama, que declarou que o parlamentar pernambucano poderá enfrentar problemas caso peça votos em prol da reeleição da presidente Dilma no guia eleitoral de rádio e televisão, que começa em agosto. “Se eles botarem o Aécio, não tem problema, mas se botarem a Dilma, sim”, afirmou Gama ao jornal Folha de São Paulo.

    O alerta deriva do fato do PTB estar alinhado em nível nacional com o senador mineiro e presidenciável Aécio Neves (PSDB), o que coloca o PTB pernambucano em uma situação delicada já que o postulante ao Senado pela chapa trabalhista é o deputado federal João Paulo (PT), afora o fato de apoiar localmente a reeleição de Dilma.

    Desde que o PTB anunciou o oficialmente o seu alinhamento com PSDB na disputa presidencial, o partido acabou isolado em Pernambuco. Durante a convenção, realizada em junho, na Bahia, Armando chegou a sair do local onde acontecia o evento antes mesmo que as discussões chegassem ao final.

    Apesar da tensão, na época o PTB nacional assegurou que as coligações estaduais estavam liberadas da verticalização, o que possibilitaria que Dilma e Armando dividissem o palanque estadual. O material de campanha que está chegando às ruas, inclusive, já traz a associação entre Dilma e o parlamentar, bem como as gravações para o guia eleitoral, que já estão em andamento.

    Agora, resta saber como a direção nacional da legenda irá reagir a defesa cada vez mais veemente que Armando tem feito em torno da reeleição da presidente Dilma e na defesa do seu governo, algo que deverá ser intensificado com o início da propaganda eleitoral gratuita.

    Do 247

    Compartilhe essa notícia:

      Genro do Prefeito de Igarassu deixará saudades

      David Uchôa deixa toda a Cidade com um brilho a menos dos olhos e um motivo a menos para sorrir

      David Amaral

      O trágico acontecimento se deu na manhã de ontem (21) no apartamento em que vivia com a Esposa e sua filhinha de 1 ano. E o que chega a Redação é que, ainda por razões totalmente desconhecidas, ele teria atentado contra a própria vida.

      O velório acontece na casa onde morava seus Avós, ao lado da Sede da Prefeitura Municipal, Sítio Histórico. Tendo o sepultamento marcado para hoje (22), às 10h, no cemitério da Cidade.

      Filho de Jarbas Amaral e Edneide Uchôa, David, que no dia 7 de junho completara seus 30 anos, sempre será lembrado como um garoto cheio e energia, que corria livremente com os olhos azuis brilhantes e face rosada, pelas ladeiras do Sítio Histórico; que brincava com todos familiares e amigos. Garoto esperto que tudo queria saber e aprender. E para equilibrar tanta efervescência pueril, logo fora participar do Grupo de Escoteiros junto com seus inseparáveis primos… Quando adolescente sempre foi de estar ao lado dos amigos. Centro das atenções, logo conquistava a todos com seu companheirismo, lealdade e espírito de equipe. Rapidamente tornou-se adulto, e disciplinado, traçou sua meta de ser Agente da Polícia Rodoviária Federal, e claro, com estudo e dedicação, realizou seu desejo. Mas duas outras realizações completaria sua felicidade: casar-se com aquela pelo qual seu coração se apaixonou perdidamente, e que sem muita demora lhe daria o símbolo de sua continuidade na vida terrena, sua tão amada filha…

      David deixará saudades. Mas também deixará a alegria nos pensamentos, daqueles que puderam desfrutar de sua contagiando felicidade, nas irreverentes participações no Bloco Periquito no Dedo, Galo da Madrugada e tantos outros!

      Agora, de braços acolhedores e fraternos certamente estão seus estimados Avós que com as bênçãos do Pai, o conduzirão ao entendimento de sua nova fase da vida.

      David Uchôa – 1984 – 2014

      Por Marcello Santanna/Jornal PE da Gente/Foto: reprodução

      Compartilhe essa notícia:

        Zé Gomes e Paulo Câmara participam do primeiro debate eleitoral nesta terça-feira

        Zé Gomes PsolO candidato a governador Zé Gomes (PSOL) participa nesta terça-feira (22/7), às 8h, do primeiro debate entre candidatos desde o início da campanha eleitoral em Pernambuco. Ele e Paulo Câmara (PSB) vão discutir suas propostas para o Estado em encontro promovido pela Associação das Empresas de Planejamento e Consultoria Empresarial do Nordeste (ASSEMP) e Clube de Engenharia de Pernambuco, com mediação do Sindicato dos Jornalistas de Pernambuco. O evento ocorre no Hotel Mercury, localizado na Rua Estado de Israel, 203, na Ilha do Leite.

        Para Zé Gomes, esta é uma importante oportunidade para pautar na campanha temas de interesse da população. “Os debates são fundamentais para que, numa situação de equidade, seja possível estabelecer as diferenças entre os projetos políticos representados por cada candidato. Seguramente as pessoas que acompanharem e participarem do encontro desta terça-feira poderão conhecer melhor nossas propostas e perceber que representamos uma alternativa concreta para o Estado de Pernambuco”, afirmou.

        O encontro, aberto ao público, terá mediação da jornalista Ana Cláudia Elói, presidente do Sindicato dos Jornalistas de Pernambuco. Nele, após a apresentação, cada candidato terá 20 minutos para se apresentar. Para o debate com o público, foram reservados outros 30 minutos. Outros cinco minutos serão destinados às considerações finais.

        Compartilhe essa notícia:

          Arlindo Siqueira vai polarizar campanha com Luciana

          arlindo-siqueiraO vereador olindense Arlindo Siqueira (PSL), candidato a deputado federal, já definiu a principal estratégia da sua campanha à Câmara Federal: vai polarizar as discussões com a deputada Luciana Santos (PCdoB). Denominando-se “o federal de Olinda”, Arlindo vai usar o discurso da comparação entre a sua atuação e a da comunista, que está no segundo mandato.

          Arlindo quer mostrar que em oito anos, a deputada fez muito pouco em favor da cidade e que não existe nenhum projeto relevante para o município. O vereador ressalta que Luciana, pelo contrário, destinou recursos, através de emendas parlamentares para outros municípios e esqueceu de Olinda.

          “Olinda precisa de um deputado federal que lute pelos seus interesses, que traga projetos e recursos para grandes investimentos. Isso a deputada não fez. Ela tem uma atuação fraca, deu as costas para a cidade. Em outubro os olindenses vão dar o troco, votando em quem tem compromissos de verdade com a cidade.

          Único vereador eleito pela oposição em 2012, em 18 meses de atuação, Arlindo já fez mais de 1.200 intervenções na Câmara, entre apresentação de projetos de lei, requerimentos, indicações, solicitações de audiências públicas, pedidos de informações e denúncias a irregularidades na administração municipal. Também participou de 100% das sessões ordinárias e audiências públicas e, em todas elas, utilizou a tribuna para pronunciamentos.

          Compartilhe essa notícia:

            CHARGE: Dilma caindo…

            Compartilhe essa notícia:

              Eduardo Campos diz que vai destinar 10% do orçamento para saúde

              Eduardo Campos PSBO candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB) e a vice em sua chapa, Marina Silva, assumiram nesta segunda-feira (21), compromisso com o movimento social “Saúde mais 10″. Os dois confirmaram, durante ato de inauguração do comitê de campanha em São Paulo, que, se eleitos, comprometerão 10% do orçamento da União com a saúde.

              Campos explicou que será preciso fazer um ajuste, mas que a equipe trabalha com a possibilidade de alcançar a meta de 10% já em 2015. “Vamos chegar (ao governo), com o orçamento já votado. Vamos fazer uma adaptação ao orçamento de 2015 e conduzir para as metas”, disse a jornalistas após o evento.

              O tema da saúde pública foi escolhido para pautar a cerimônia de inauguração do comitê pessebista. Campos afirmou repetidas vezes que falta recursos para a saúde. Além disso, argumentou que enquanto Estados e municípios têm de comprometer uma parcela do orçamento para a área da saúde, a União não aceita uma definição desse tipo. “Só a União que não tem que ter uma obrigação e as pessoas estão morrendo nos hospitais, por falta de maternidade, por falta de UTI, então temos que saber qual é a prioridade”, disse Campos.

              O candidato evitou criticar diretamente o programa do governo federal Mais Médicos e não respondeu se acabaria com o programa, mas repetiu que a área da saúde necessita de recursos e de formação de recursos humanos. “Temos que ter uma política de recursos humanos, com planejamento para formação de pessoas na área da saúde.”

              FATOR PREVIDENCIÁRIO – Campos negou que tenha se colocado pelo fim do fator previdenciário, como foi noticiado pela imprensa nos últimos dias. “O que acontece é que estamos fazendo rodas de conversas para elaboração do nosso programa (de governo) com especialistas e é claro que algumas coisas vazam. Umas certas, outras erradas” disse o candidato. “É natural que a gente, quando discuta a questão da Previdência, venham várias reivindicações, mas não tratei da questão do fator previdenciário”, completou.

              Do Estadão Conteúdo

              Compartilhe essa notícia:

                Frente de Luta pelo Transporte Público aponta incoerências no discurso de Eduardo Campos sobre Passe Livre

                Eduardo CamposNa última semana (18), o candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, disse que, se for eleito, pretende beneficiar cerca de 20 milhões de estudantes em todo o país com o passe livre no transporte público.  Diante do exposto, durante sabatina da Folha de S. Paulo, a Frente de Luta pelo Transporte Público enviou uma nota rebatendo as declarações do presidenciável.

                Segundo o movimento, a notícia soou com perplexidade, visto que durante os quase oito anos da gestão socialista em Pernambuco, o governo “nunca abriu ou promoveu discussão acerca do Passe Livre Estudantil em Pernambuco”.

                Para o grupo, a proposta de Passe Livre a ser executada em uma eventual eleição de Eduardo Campos soa como “oportunismo eleitoral”.

                Leia a íntegra da nota:

                No Governo Eduardo Campos, nunca houve discussão sobre Passe Livre!

                Nós da Frente de Luta pelo Transporte Público de Pernambuco, movimento que reúne diversas entidades estudantis, de trabalhadores, usuários do transporte e da juventude em geral, vimos por meio desta demonstrar nossa estranheza e perplexidade com as afirmações de Eduardo Campos na sabatina promovida pela Folha de São Paulo.

                O candidato à presidência da República pelo PSB durante seus quase 8 anos de governo nunca abriu ou promoveu discussão acerca do Passe Livre Estudantil em Pernambuco. Desde que assumiu o governo, já naquela época com o discurso de democratizar a gestão do Transporte Público criou o Consórcio Grande Recife em lugar da antiga EMTU – Empresa Metropolitana de Transporte Urbano, no entanto na prática não vimos mudanças concretas na política do Transporte.

                Os usuários continuaram não sendo ouvidos para as decisões e o Grande Recife continuou com a mesma estruturação de loteamento de cargos de sua ampla aliança política no Estado de Pernambuco. Não à toa que é uníssona na sociedade pernambucana a crítica ao modelo de expansão do Transporte feito exclusivamente por Terminais Integrados (quem utiliza diariamente, os chama de “currais” integrados, pois o povo é tratado como porco) em detrimento de uma integração temporal por bilhetagem eletrônica, ainda uníssono é o descontentamento com a não unificação das tarifas, onde temos ônibus com menor distância com preço de passagens mais caras do que outros com maior distância.

                Tudo isto demonstra uma irracionalidade no atual sistema de transporte na Região Metropolitana do Recife (administrado pelo Governo do Estado) que vem sendo denunciada ao longo dos últimos anos e foi motivo de uma carta aberta endereçada pessoalmente ao então governador, Eduardo Campos, onde apresentamos 13 pontos, no meio das manifestações do ano passado, que igualmente sequer obtivemos resposta. Outro ponto que nós, juntamente com outros diversos movimentos sociais, temos reivindicado como desdobramento do direito social ao transporte (Proposta de Emenda Constitucional da Deputada Luiza Erundina do PSB – partido de Eduardo Campos!) é o Passe Livre Estudantil e para os trabalhadoras desempregados/as.

                Só ano passado realizamos cerca de 22 protestos, ações de rua, ocupação da Câmara Municipal, do Consórcio Grande Recife, e fomos recebidos apenas uma vez pelo segundo escalão do Governo (o então subsecretário da Casa Civil, Marcelo Canuto e o presidente do Consórcio Grande Recife, Nelson Menezes) que em resposta aos 13 pontos esposados na carta aberta endereçada ao Governador, nos afirmou que nenhum daqueles pontos era de interesse do governo e nos mandou procurar as “Conferências Municipais e Regional do Transporte” para que pudéssemos apresentar nossas propostas. Tal atitude já revela de maneira clara que a gestão de Eduardo Campos não teve/tem nenhum interesse em discutir a temática do Passe Livre. Ainda assim, procuramos acompanhar as conferências, mas para não surpresa nossa (como de costume na atual gestão) as mesmas em sua maioria não aconteceram.

                A resposta ao pleito da juventude foi uma dura repressão por parte do Governo Eduardo Campos, onde protestos pacíficos sofreram constantemente tentativas de sufoco por parte da Polícia Militar de Pernambuco, onde militantes foram indiciados, onde o DCE da UNICAP foi invadido pela PM em uma reunião do movimento… A prova é tanta que o então secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, não aguentou a pressão dos organismos internacionais, nacionais e regionais de defesa dos Direitos Humanos e pediu exoneração do cargo.

                Neste ínterim, a proposta de Passe Livre a ser executava em uma eventual eleição de Eduardo Campos para Presidente da República soa como oportunismo eleitoral e merece todo descrédito da população pernambucana, sabedora que em nenhum momento houve um lampejo sequer para adotar o Passe Livre em Pernambuco.

                Ainda assim, o presidenciável do PSB tenta confundir o cidadão brasileiro ao apontar que em Recife, temos “Passe Livre”. Antes de mais nada, importante não subestimar a inteligência do povo, Eduardo Campos não era prefeito do Recife, era governador do Estado. Em segundo lugar, quando a prefeitura apresentou a proposta de Passe Livre a ser aprovada na Câmara Municipal, Eduardo Campos sequer era mais governador. E em terceiro e mais importante, o referido projeto da prefeitura é bastante limitado e foi feito sem ouvir uma única vez os representantes da juventude e dos estudantes na cidade. Lembrando que a Câmara Municipal tinha construído uma comissão especial, formada por vereadores e representantes da sociedade, logo após a ocupação do prédio público com intuito de elaborar um projeto, mas o que vimos foi um verdadeiro atropelo e a nossa não participação neste processo, tanto que os vereadores da oposição se retiraram da Comissão.

                Por outro lado, a redução das passagens propagada por Eduardo Campos foi um mero repasse da desoneração da PIS/COFINS (imposto federal) levado a cabo pelo governo federal, e que ainda assim não foi feito de maneira proporcional em todas as tarifas de ônibus (ou seja, foi estipulado um valor de 10 centavos e reduzido estes valor de todos os anéis – A, B, D e G – quando na verdade a redução era para ser proporcional em cima de cada valor de passagem).

                Ante o exposto, vimos através desta nota esclarecer que em Pernambuco não há Passe Livre e que Eduardo Campos em nenhum momento, como governador, encaminhou ou aprofundou a discussão sobre tal temática, sendo assim merece descrédito e repulsa a utilização de um direito social – reivindicado com muita luta, suor e com muito gás lacrimogênio, balas de borracha e spray de pimenta no rosto da juventude – como um discurso puramente eleitoreiro!

                “PASSE LIVRE É UM DIREITO,
                ELE É DO POVO E NÃO É SÓ POR 10 CENTAVOS!”

                Recife, 21 de julho de 2014
                FRENTE DE LUTA PELO TRANSPORTE PÚBLICO DE PERNAMBUCO

                Com informações do blog de Jamildo

                Compartilhe essa notícia:

                  Em defesa de Dilma, João Paulo diz que Eduardo Campos vai ficar esperando pelos votos de Marina

                  joao-pauloO deputado federal João Paulo (PT), candidato ao Senado pela coligação “Pernambuco vai mais longe”, criticou o ex-governador Eduardo Campos (PSB) que, segundo ele, “de uma hora para outra, colocou na cabeça que tinha de ser presidente da República e abandonou Lula e Dilma”.

                  Para João Paulo, o povo brasileiro tem dado a resposta. “Eduardo Campos continua patinando desde que começou, na casa dos 8%. Achava que colocando Marina Silva em sua chapa estaria resolvido, teria 20 milhões de votos só para começar, mas esses votos não aparecem”.

                  No plano nacional, entretanto, sabe-se que conselheiros de Dilma Rousseff (PT) foram surpreendidos pela velocidade do crescimento da oposição nas simulações de segundo turno do Datafolha. A rejeição a Dilma subiu principalmente nas grandes cidades. Nos municípios com mais de 500 mil habitantes, o percentual que afirma não votar na petista “de jeito nenhum” decolou de 29%, em novembro passado, para 42%.

                  Em discurso na inauguração do comitê do candidato a deputado estadual Sergio Goiana (PT), João Paulo conclamou seus correligionários a aprofundar o debate em torno das mudanças ocorridas no País nos 12 anos dos governos de Lula e Dilma.

                  No evento, o candidato também convocou a militância petista a defender a presidente Dilma dos ataques que ela vem sofrendo da oposição e de setores da imprensa.

                  “É importante mostramos mais o que mudou em Pernambuco e no Brasil a partir destes dois governos”, observou o candidato. “Precisamos expor, por exemplo, o que foi feito em termos de formação universitária, além da inclusão de seis milhões de trabalhadores nos cursos técnicos do Pronatec e do aumento do salário mínimo. Segundo João Paulo, nunca o Brasil teve um salário mínimo tão alto.

                  Em discurso, Sérgio Goiana falou da relação que ele pensa que a população tem com João Paulo.

                  “Esse é João Paulo: onde quer que ele ande tem o carinho das pessoas. Ele é do povo. Conheceu as dificuldades e as superou. O carinho e a atenção é fruto do seu trabalho e da sua história”, afirmou Goiana. “João Paulo não muda, independente do cargo que ocupa”, disse.

                  A inauguração do comitê contou com a presença de outras lideranças petistas e da coligação “Pernambuco vai mais longe”, como o candidato a vice-governador, deputado federal Paulo Rubem (PDT), e os candidatos a deputado federal Mozart Sales (PT) e Dilson Peixoto (PT), além do vice; prefeito de Olinda, Enildo Arantes.

                  Compartilhe essa notícia:

                    Marina minimiza pouco tempo de TV

                    Marina SilvaCom apenas um minuto e 49 segundos no guia eleitoral, que vai ao ar a partir do dia 19 de agosto, a ex-senadora Marina Silva minimizou o efeito do pouco tempo de campanha de TV na eleição presidencial nesta segunda-feira (21), durante a inauguração do comitê central da campanha, em São Paulo. Marina é vice do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB).

                    “Nesse pouco tempo temos, haveremos de passar a nossa mensagem e passar para o Brasil que a nossa união é para que o povo estabeleça uma agenda”, disse. “Eles são muito poderosos, têm muita estrutura. Mas nós estamos nos comprometendo com uma nova postura”, garantiu.

                    O PSB está apostando no guia eleitoral para que Eduardo Campos possa crescer nas pesquisas de intenção de voto. O próprio ex-governador disse que o mês após o início do guia é fundamental para o avanço junto ao eleitorado. Hoje, Campos tem cerca de 8% nas pesquisas e aparece em terceiro lugar.

                    Compartilhe essa notícia:

                      Nota de Pesar

                      IMG_49380215202032

                      Compartilhe essa notícia:

                        Professores do Recife afirmam que retomaram negociações; prefeitura nega

                        Uma nova assembleia da categoria será realizada nesta terça, às 14h, no pátio da PCR / Foto: reprodução vídeo TV Jornaç

                        Em greve desde o último dia 15 de julho, professores da rede municipal do Recife se reuniram, na manhã desta segunda-feira (21), com o secretário de Governo do Recife, Sileno Guedes, na tentativa de retomar as negociações da campanha salarial. De acordo com o sindicato da categoria (Simpere), Sileno Guedes se comprometeu em analisar a pauta de reivindicações e dar um retorno até a próxima assembleia da categoria, marcada para as 14h desta terça, no pátio da PCR.

                        Já a Prefeitura do Recife, por meio de sua assessoria de imprensa, afirmou que a reunião com o secretário de Governo não significou a retomada das negociações. A prefeitura teria apenas recebido a pauta dos professores, mas as negociações salariais só poderão ser reiniciadas após o fim da greve, considerada ilegal pela Justiça. Por esse motivo, o secretário de Educação, Jorge Vieira, não teria participado do encontro.  O impasse entre Governo e a categoria prejudica pelo menos 90 mil alunos que continuam sem aula.

                        Para a diretora de Comunicação do Simpere, Cláudia Ribeiro, a reunião desta segunda com Sileno Guedes representou sim o reinício das negociações. “Mostramos para Sileno que prefeitura não vem cumprindo o acordo salarial. E ele, como secretário de Governo, nos prometeu uma resposta”, disse Cláudia. A reunião desta segunda só foi marcada depois que os professores ocuparam o prédio da administração municipal por mais de 10 horas na última sexta-feira (18). “Consideramos o encontro de hoje uma vitória da categoria”, acrescentou a diretora do Simpere.
                        Entre as principais reivindicações dos docentes estão a implementação das aulas-atividades, além da revisão do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) e o cumprimento da lei do piso salarial.

                        Apesar do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) ter decidido pela ilegalidade da greve e decretado multa diária de até 100 mil reais por dia ao sindicato, a entidade garante que o movimento continua forte. A Prefeitura também anunciou que irá descontar as faltas dos professores que não estão indo trabalhar a contar da última quinta-feira (17).

                        Na manhã desta segunda, a reportagem da Rádio Jornal visitou a Escola Municipal General Emídio Dantas Barreto, em Santo Amaro, e constatou que aumentou de professores que retomoram as atividades.

                        Questionada se a greve estava enfraquecida, a diretora do Simpere afirmou que a adesão da categoria é de 85% e que as algumas escolas estão funcionando parcialmente graças ao trabalho das pessoas que ocupam cargos de chefia, professores temporários e estagiários. “Os professores efetivos não estão trabalhando. Estamos unidos para defender nossos direitos”, disse Cláudia Ribeiro.

                        Com informações do NE10

                        Compartilhe essa notícia:

                          Eduardo Campos ainda patina como nome no Nordeste

                          Eduardo CamposQuando a candidatura presidencial de Eduardo Campos (PSB) ganhou ares de irreversível, em outubro passado, o então governador de Pernambuco era visto como uma ameaça à hegemonia eleitoral petista no Nordeste. Até agora, porém, essa hipótese não se concretizou. À exceção de Pernambuco, Campos tem na região desempenho semelhante à média nacional, segundo pesquisas feitas em Estados nordestinos nas últimas semanas.

                          O Estadão Dados reuniu consultas eleitorais feitas desde o início do ano, em âmbito estadual, que pesquisaram o voto para candidatos a presidente. Esse banco de dados revela que, nos oito Estados do Nordeste em que foram feitos levantamentos presidenciais (não foram encontradas pesquisas em Sergipe), as intenções de voto no candidato do PSB vão de 6%, no Ceará, a 13% na Paraíba. Nos mesmos Estados, a presidente Dilma Rousseff (PT), que busca a reeleição, tem 44% e 55%, respectivamente. A candidata à reeleição chega a 63% no Piauí.
                          Pernambuco é a exceção. Lá, Campos e Dilma estão tecnicamente empatados – ele tem 40% da preferência dos eleitores e ela, 39%. A presidente está isolada no primeiro lugar no resto do Nordeste. De acordo com a média das últimas pesquisas nacionais calculada pelo Estadão Dados, Campos tem hoje 10% das intenções de voto dos brasileiros. Como nos Estados nordestinos o apoio ao candidato varia entre 6% e 13%, fica claro que seu desempenho na região não é melhor que na média nacional. Isso por causa da margem de erro, que chega a 4 pontos porcentuais em alguns Estados.

                          PERFORMANCE – É verdade, porém, que o Nordeste é onde o candidato do PSB se sai melhor em comparação ao resto do País. Diferentemente do cenário nacional, em que aparece em terceiro lugar nas pesquisas Campos está em segundo em Alagoas e na Paraíba. Mas nem isso é motivo para o candidato do PSB comemorar. Sua colocação se deve ao fato de o concorrente tucano, o senador Aécio Neves, se sair particularmente mal no Nordeste.

                          Os dois candidatos de oposição a Dilma estão, na verdade, tecnicamente empatados na maioria dos Estados da região. Mesmo com 20% dos votos em todo o Brasil, Aécio consegue, no máximo, 14% em colégios eleitorais nordestinos – no Maranhão e no Piauí. Em Pernambuco, terra natal de Campos e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o tucano tem votação de nanico: 3%.

                          DISCURSO – O candidato do PSB tem repetido que quer ser o candidato do Nordeste e que vai trabalhar para ganhar a eleição na região e, assim, chegar à Presidência da República. Nas duas primeiras semanas de campanha oficial, Campos visitou cinco dos nove Estados da região.

                          Em seu discurso, o ex-governador de Pernambuco costuma lembrar suas raízes nordestinas e afirmar que Dilma não deu ao Nordeste o mesmo valor que a região deu a ela. Campos acusa a presidente, que teve votação massiva na região em 2010, de ter investido pouco e de não ter concluído obras importantes, como a transposição do Rio São Francisco – muitas delas iniciadas ainda na gestão Lula.

                          Desde as eleições de 2006, o Nordeste tem sido a região de melhor desempenho eleitoral dos candidatos do PT. No primeiro turno de 2010, Dilma venceu em todos os Estados nordestinos e recebeu 55% dos votos da região.

                          Do Estadão

                          Compartilhe essa notícia:

                            Peemedebistas citam programas federais e esquecem Dilma

                            presidente-dilma-palacio-planalto-brasilia-20120830-01-size-598A presidente Dilma Rousseff tem sido esquecida pelos candidatos a governador do PMDB, principal aliado na esfera nacional, como mostram as propostas de governo dos 18 candidatos do partido. Nos programas inscritos na Justiça Eleitoral, os peemedebistas citam pelo menos uma vez a necessidade de atuação em parceria com o governo federal nos próximos quatro anos, mas poucos mencionam Dilma ou sua gestão.

                            Seis dos 18 candidatos do PMDB têm apoio formal do PT, como o alagoano Renan Filho. Ele foi o único a citar Dilma nominalmente no plano. No programa, disse que a “principal plataforma política” do governo da presidente é eliminar definitivamente a miséria absoluta no País.

                            “Para isso, o conjunto de iniciativas vai contar com mais R$ 100 bilhões em recursos públicos até 2014, por exemplo. Esse ambicioso objetivo não pode ser alcançado sem a colaboração direta dos entes subnacionais, principalmente os Estados e municípios”, destacou. O governo é mencionado 20 vezes, nas 41 páginas do programa.

                            Paulo Skaf, candidato do PMDB em São Paulo, fez uma citação protocolar ao programa Minha Casa Minha Vida nas 25 páginas do documento. Skaf começou a campanha sem colar sua imagem à da presidente, apesar de Dilma ter dito que conta com dois palanques no Estado – o dele e o do petista Alexandre Padilha.

                            O programa do governador de Sergipe e candidato à reeleição Jackson Barreto faz sete citações elogiosas aos programas federais, em 68 páginas. Coligado com o PT, ele assumiu o posto após a morte do petista Marcelo Déda, em dezembro.

                            PARCERIA – Mesmo sem apoio do PT do Rio, que lançou Lindbergh Farias, o governador e candidato à reeleição Luiz Fernando Pezão foi o que mais exaltou a parceria federal: “Por meio de uma parceria estruturada com o Governo Federal, a nossa atual gestão vem implantando o maior projeto social da história do Rio de Janeiro: o PAC das Comunidades”.

                            Crítico do governo no Senado, o paranaense Roberto Requião faz 17 referências à gestão federal em 158 páginas. Ao todo, faz oito citações a programas de abrangência nacional. Ao tratar do Luz Para Todos, o peemedebista cita o antecessor de Dilma, mas não a atual governante.

                            “O programa visa a atender famílias que pratiquem agricultura de subsistência, integrem projetos de assentamento, habitem comunidades indígenas ou estejam localizadas em municípios de baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o governador Roberto Requião fizeram, em 22/06/2009, a ligação do consumidor de número 2 milhões do programa, em Congonhinhas.”

                            Embora tenha declarado que vai dar palanque a Dilma, o candidato do PMDB no Ceará, Eunício Oliveira, elogia no programa a primeira gestão estadual do tucano Tasso Jereissati, que disputará o Senado pela chapa.

                            Do Estadão

                            Compartilhe essa notícia:

                              Para Aécio, caso de aeroporto está ‘todo explicado’

                              Aécio desconversou sobre possível candidatura à Presidência em 2014O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, afirmou nesse domingo (20) que o processo de construção de um aeroporto no município de Cláudio, a 150 quilômetros de Belo Horizonte, pelo governo de Minas, foi realizado de forma transparente. “Já foi tudo explicado. Tudo foi feito com a mais absoluta transparência e correção; aliás, como sempre faço”, disse o tucano, durante visita à região do Cariri cearense.

                              Reportagem publicada ontem pelo jornal Folha de S.Paulo afirma que, no fim do segundo mandato de Aécio como governador de Minas o Estado gastou quase R$ 14 milhões para a construção de um aeroporto dentro de uma fazenda do tio-avô do tucano, Múcio Guimarães Tolentino, de 88 anos.

                              O parente do tucano foi prefeito da cidade de Cláudio, na qual a família de Aécio também é dona de uma fazenda. A propriedade foi herdada de sua avó Risoleta, que morreu em 2003 e era irmã de Múcio e viúva do ex-presidente Tancredo Neves.

                              Questionado se o caso envolvia investimento de dinheiro público em um empreendimento privado, Aécio disse ser “exatamente o contrário” e que o PSDB já havia explicado os detalhes da obra em nota enviada à imprensa. No texto, o partido alega que o aeroporto está construído em terras públicas, “não havendo portanto o investimento público em área privada”.

                              Segundo a reportagem, a área do aeroporto foi desapropriada pelo governo de Minas, que fez um depósito judicial de R$ 1 milhão pelo terreno. O tio-avô de Aécio contesta o valor. Concluído em 2010, o aeroporto ainda não foi homologado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para uso público e o acesso é controlado pelos donos da fazenda, conforme informado pela prefeitura da cidade à reportagem.

                              “Não se trata também de construção de um novo aeroporto, mas de melhorias realizadas em pista de pouso que existia há mais de 20 anos no local, realizadas por meio do ProAero, programa criado no governo Aécio Neves e que garantiu investimentos em inúmeros aeroportos do Estado”, afirmou o partido na nota. A obra foi executada pelo Departamento de Obras Públicas do Estado (Deop).

                              O PSDB alegou ainda que Aécio não é proprietário da fazenda da Mata, que fica situada a 6 quilômetros do aeroporto de Cláudio. “O imóvel é de propriedade do espólio da avó da Aécio, Risoleta Neves – portanto, pertence aos três filhos dela. A fazenda está há cinco gerações na família. A bisavó do senador nasceu no local”, disse o partido.

                              INTERESSE PÚBLICO – Ainda de acordo com a nota, o programa ProAero previu um aeroporto local de pequeno porte no município. “A escolha da área se deu por critérios técnicos, não tendo interferido na decisão o fato do proprietário à época ser ou não ser parente do então governador. Já havia no terreno em questão uma pista de pouso construída há 20 anos, o que tornaria a obra muito mais barata. Prevaleceu exclusivamente o interesse público.

                              Do Estadão

                              Compartilhe essa notícia:

                                ‘Copa’ entre governo e oposição termina sem gol

                                dilma, eduardo e aceioNo jogo eleitoral que disputaram durante a Copa do Mundo, os três principais candidatos à Presidência tiveram boas e más atuações e terminaram praticamente empatados – ou seja, nenhum levou vantagem sobre os demais e o impacto de tudo na campanha tende a ser mínimo.

                                Esse é o placar observado por cientistas políticos de quatro escolas que analisaram os episódios mais significativos do torneio – vaias e xingamentos à presidente Dilma Rousseff, ataques à “elite branca”, a ideia de intervir no futebol, as críticas, recuos e silêncios de Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) e as derrotas do Brasil contra Alemanha e Holanda.

                                A pesquisa Datafolha divulgada na quinta-feira, segundo eles, mostra pouca alteração no cenário pós-Copa. Embora aponte pela primeira vez empate técnico entre Dilma e Aécio no 2.º turno (44% a 40%) e redução da diferença dela para Campos (45% a 38%) nesse cenário, houve estabilidade nas preferências do 1.º turno: a petista tem 36%, o tucano, 20% e o candidato do PSB, 8%.

                                “As variações do Datafolha para o 1.º turno são mínimas e para o 2.º, estão dentro da margem de erro”, diz Leonardo Avritzer, da Universidade Federal de Minas Gerais. Como ele, Marco Antonio Teixeira, da Fundação Getulio Vargas, diz que “o efeito Copa está passando rapidamente”. “O lastro é pequeno e o cidadão está voltando ao dia a dia”, afirma.

                                Para o professor de Teoria Política da Unesp Milton Lahuerta, “não dá para imaginar ocorrências da Copa que impliquem em mudança de voto”. O próprio diretor do Datafolha, Mauro Paulino, já havia dito que o saldo da disputa, na pesquisa, “pode ser considerado um empate sem gols entre governo e oposição”.

                                Na avaliação de José Álvaro Moisés, da USP, a Copa ocorreu “em um momento de transição do País”, em que a capacidade crítica cresce após os protestos de junho de 2013 e as incertezas na economia persistem. “(Dilma) fez uma tentativa equivocada de aproveitar os resultados esportivos (…) e isso vai ter efeito em sua popularidade. Só não sabemos se será significativo.”

                                XINGAMENTO – Nas vaias à presidente no Itaquerão, na abertura do Mundial, a avaliação geral é de que os três candidatos erraram. Dilma, por falar em “elite branca”, tese da qual seu próprio ministro Gilberto Carvalho discordou. Aécio e Campos erraram ao usar o episódio para criticá-la.

                                Ao longo do torneio, Dilma se animou com as vitórias da seleção, fez a pose “é tóis”, mas bateu em retirada após o vexame dos 7 a 1. “(A presidente) caiu em outro equívoco ao querer interferir na estrutura do futebol e até proibir exportação de jogadores”, diz Lahuerta. Aécio reagiu atacando uma “Futebrás”. “Não dá para passar quatro anos sem tocar no assunto e, de repente, querer mudar tudo. Não convence ninguém”, comenta Moisés.

                                Do Estadão Conteúdo

                                Compartilhe essa notícia:

                                  Eduardo promete R$ 37 bilhões para Saúde e diz que sabe de onde tirar dinheiro

                                  Eduardo CamposCerca de R$ 37 bilhões. Este é o dinheiro que o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) prometeu aplicar a mais na Saúde do País caso seja eleito presidente da República. A proposta equivale a aplicar 10% da receita corrente bruta da União no setor. O pacote para saúde, anunciado nesta segunda-feira (21) durante a inauguração do comitê central da campanha presidencial, em São Paulo, inclui ainda a criação de uma carreira federal para médicos.

                                  Questionado nos últimos dias pelas promessas ambiciosas, como universalizar o acesso à escola integral e criar um passe livre para estudantes em todo o País, o socialista fez questão de garantir que sabe de onde tirar os recursos para cumprir a palavra que vem sendo empenhada na campanha. “Tudo isso que a gente fala, a gente faz conta com responsabilidade”, afirmou.

                                  “O governo federal tem recurso, sim, para fazer a escola integral em quatro anos, para fazer o passe livre para todos os estudantes”, disse, sem indicar de onde sairia o dinheiro. Nos próximos dias, o PSB deve entregar um programa de governo atualizado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com novas promessas que ainda não haviam sido elaboradas quando a candidatura foi registrada.

                                  Campos limitou-se a atacar o governo federal, coisa que tem feito desde que começou a construir a candidatura presidencial. “Se tem R$ 50 bilhões para investir no setor elétrico, por que não tem para o passe livre e para a Saúde?”, questionou no discurso.

                                  “Nós precisamos curar o Brasil. Da inflação que volta, da falta de ética, de um governo que fica de costas para a sociedade”, disse o presidenciável. “O problema de gestão não é apenas na área da saúde, é geral”, confirmou o deputado federal Roberto Freire (PPS); aliado.

                                  O ato contou com a presença do presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Roberto Luiz d’Ávila. A entidade é contra o Mais Médicos, vitrine da área de Saúde da presidente Dilma Rousseff (PT). “Esse governo que está aí tem humilhado os médicos brasileiros”, afirmou.

                                  Compartilhe essa notícia:

                                    Cobranças abusivas nos pontos descentralizados do VEM

                                    No Recife, os usuários de transporte público contam com pontos descentralizados para recarga do Vale Eletrônico Metropolitano (VEM), tanto comum quanto estudantil, mas, apesar de facilidade, alguns pontos estão fazendo cobranças indevidas, muitas vezes sem o conhecimento dos passageiros.
                                    De acordo com o VEM Grande Recife, os vários pontos espalhados pela Região Metropolitana do Recife são credenciados para venda de créditos com recarga imediata com valores pré-estabelecidos. Esses valores não devem sofrer alterações, entretanto, na prática isso não acontece.

                                    O estudante de jornalismo Deivid Santos procurou um ponto de recarga no Caixa Aqui, no centro de São Lourenço da Mata, Grande Recife, e, além da cobrança permitida no valor de R$ 1, o vendedor descontou mais R$ 1. “Pedi para o atendente colocar R$ 18. De acordo com o que informado no demonstrativo deveria entrar R$ 17, já que é a taxa normal cobrado pelo serviço. Entretanto, entrou R$ 16”, explica Deivid. Ao questionar ao motivo, a atendente disse que R$ 1 era para custear as despesas da máquina, inclusive afirmando que “isso é permitido” pelo Ponto Centro, do Grande Recife, fato não confirmado pelo órgão.

                                    A Equipe do JC Trânsito esteve nas ruas para verificar a informação. Pelo menos dois pontos de recarga descentralizados na Avenida Manoel Gonçalves da Luz, no bairro da Mustardinha, na Zona Oeste do Recife, utilizam a mesma prática de cobrança. Ao serem questionados sobre como funciona o procedimento da recarga, a resposta foi a mesma: R$ 1 seria para a máquina e R$ 1 para o estabelecimento.

                                    Segundo o VEM Grande Recife, para a recarga do VEM Comum é cobrada uma taxa de 2,5% sobre o valor dos créditos. Por exemplo, se o usuário carregar o valor de R$ 100 será cobrado mais R$ 2,50. Já com o VEM Estudante, é cobrada uma taxa fixa de R$ 1, por recarga, sem nenhuma variação. Se o estudante recarregar R$ 10 ou R$ 100, será cobrado o mesmo valor de R$ 1.

                                    De acordo com a assessoria do VEM Grande Recife, a denúncia foi encaminhada para a Rede Ponto Certo, operadora do sistema, para que o ponto seja descredenciado, além de alertar para a prática indevida em outros pontos de recarga. Quem souber de outros pontos que estão cometendo abusos pode fazer a denúncia através dos telefones: (81) 3182.5551 / 0800-0810158

                                    Do JC Trânsito

                                    Compartilhe essa notícia:

                                      Nena Cabral realiza visita na AESPAM

                                      Nena Cabral realiza visita na AESPAM

                                      Durante a manhã de ontem, o candidato a Deputado Estadual Nena Cabral (PTB), participou de mais uma de suas visitas à Associação dos Egressos do Sanatório padre Antônio Manoel (AESPAM), situada na comunidade da Mirueira em Paulista. Na ocasião, Nena Cabral reencontrou seus amigos  de juventude, os quais as amizades permanecem até hoje, como o senhor Juliano, presidente da associação, que fez questão de ressaltar “conheço Nena há  muito tempo, as portas sempre vão está abertas para ele, pois ele vem aqui por amizade a nós, não são como outros políticos que aparecem por aqui em tempo de política, pra ele  sim as porta vão sempre está fechada”. A associação foi fundada em 1979, e atualmente possui cerca de 250 associados.

                                      Após a visita na associação, o candidato ainda visitou outros  amigos  no bairro de Paratibe, Aurora e Arthur I. Muito satisfeito com a receptividade dos amigos sobre sua candidatura, em meio as visitas, Nena Cabral declarou.“ Fico muito feliz em saber que meus amigos estão confiantes, tanto quanto eu, todos eles estão me apoiando bastante, irei lutar com ele em prol de uma melhor qualidade de vida para os paulistenses”.

                                      Compartilhe essa notícia:

                                        Marília Arraes diz que dificilmente Eduardo Campos se elege presidente

                                        Marília ArraesApós ter declarado apoio à presidente Dilma Rousseff (PT) na disputa para presidente da República, a vereadora do Recife Marília Arraes (PSB) afirmou na manhã desta segunda-feira (21), que dificilmente seu primo, o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), será eleito para o Palácio do Planalto, ao comentar a promessa dele de implantar o passe livre no País.

                                        “É uma pena que o passe livre não foi implantado em todo o Estado. A gente teve sete anos para implantar o passe livre em Pernambuco.

                                        Será que será possível cumprir essa promessa nacional?”, alfinetou. “Não sei se ele vai conseguir implantar isso aí no nível nacional. Se ele ganhar a eleição, o que é bastante difícil de acontecer, de acordo com o que as pesquisas indicam”, ironizou a vereadora, em entrevista à Rádio Jornal.

                                        Compartilhe essa notícia:
                                          background